Início Notícias Venezuela autoriza seis exchanges a negociarem a criptomoeda Petro

Venezuela autoriza seis exchanges a negociarem a criptomoeda Petro

304
1
Venezuela autoriza seis exchanges a negociarem a criptomoeda Petro

Nesta quarta-feira, 17 de outubro, o governo da Venezuela forneceu autorização para que seis exchanges negociem a criptomoeda oficial do país, o Petro. Segundo o site oficial do governo, o número é menor do que o anunciado inicialmente pelo presidente Nicolás Maduro, de 16 exchanges.

“A Petro estará disponível a partir desta quarta-feira, 17 de outubro, em seis exchanges, embora o presidente Maduro tenha anunciado anteriormente que haveria 16 empresas certificadas para negociar a criptomoeda”, afirmou o portal Bitcoin.com.

Seis exchanges autorizadas a negociar Petro

As seis empresas escolhidas pelo governo são: Cave BlockchainBancarCryptia, Amberes CoinAfx TradeCriptolago. Algumas delas já anunciam a criptomoeda em seus sites.

O anúncio certamente foi um banho de água fria para quem acreditou no discurso de Nicolás Maduro. No início deste mês, o presidente disse que a criptomoeda estaria disponível nas “seis bolsas mais poderosas do mundo”. Entretanto, foi listada em seis bolsas desconhecidas no mercado.

O site da Cryptia lista três criptomoedas para negociação com Bitcoin – Ether (ETH), Dash e Ripple (XRP) – mas não possui volume de negociação. O site ainda afirma ser possível trocar a Petro por Bitcoin, Ether e até dólares:

“Acesse a criptomoeda [Petro] em bolivares e troque-os por Bitcoin, Ether ou dólares americanos.”

A Amberes Coin descreve a si mesma como uma exchange de criptomoedas “autorizada pelo estado venezuelano para a compra e venda de Petro, Bitcoin, Ether e quaisquer ativos digitais” permitidos pela regulamentação do país.

Já a Afx Trade explicou que é uma plataforma de troca de criptomoedas regulada na Venezuela para comprar, vender e armazenar “ativos digitais dentro e fora do território nacional”.

Uma série de mudanças

O Petro sofreu uma série de mudanças nos últimos meses, as quais envolveram o projeto em uma série de polêmicas. O governo de Maduro divulgou um novo whitepaper oficial para a moeda no início deste mês, o qual foi acusado de ser um plágio de outra criptomoeda, a Dash.

Além disso, o Petro não possui mais o lastro apenas no petróleo, como foi descrito em dezembro do ano passado. O novo whitepaper explica que a moeda agora é lastreada em uma cesta de commodities que incluem petróleo, ouro, ferro e diamantes.

Posteriormente, a criptomoeda também passou a ser a única forma de pagamento para quem desejasse emitir um passaporte na Venezuela.

Em abril, Maduro anunciou que havia “autorizado a certificação” de 16 bolsas para o petro. Observando que atualmente existem apenas seis bolsas autorizadas, a Noticiero Digital apontou que a Afx Trade não foi incluída na lista inicial de 16 bolsas.

Siga o Criptomoedas Fácil no InstagramCLIQUE AQUI !!!