Início Blockchain Um dos maiores artistas plásticos do mundo cria token em projeto focado...

Um dos maiores artistas plásticos do mundo cria token em projeto focado em crítica ao sistema

251
0
Um dos maiores artistas plásticos do mundo cria token em projeto focado em crítica ao sistema

Ai Weiwei é um dos maiores artistas plásticos do mundo e seus trabalhos são reconhecidos, exibidos e negociados por todo o globo. Suas obras já chegaram a ser vendidas por até US$28,6 milhões e, em sua maioria, são críticas ao governo comunista da China, o que já lhe valeu ampla perseguição em território chinês, prisão e a destruição total de seu ateliê.

Buscando ampliar ainda mais sua arte, que em muitos casos dialoga com a tecnologia, Weiwei anunciou, segundo a publicação Motherboard, uma parceria com o artista irlandês Kevin Abosch, que, como mostrou o Criptomoedas Fácil, utiliza amplamente blockchain e criptomoedas em suas obras.

Juntos, Ai e Abosch criaram um projeto chamado PRICELESS que busca desencadear uma mudança de mentalidade em torno do valor da vida humana e especificamente do tratamento de refugiados por nações usando a blockchain do Ethereum. O PRICELESS (PRCLS) é composto por dois tokens ERC-20, enquanto um não estará disponível para distribuição, o outro é destinado à distribuição e é divisível em até 18 casas decimais.

“Para mim, blockchain não é sobre tecnologia, mas uma oportunidade para montar um novo sistema que possa desmantelar o antigo sistema, ou pelo menos oferecer uma nova possibilidade de comunicação. Não trata-se de um potencial para criar arte, mas sim questionar o sistema existente e o potencial para criar um novo sistema fora do estabelecido”, disse Weiwei a publicação.

Endereços de carteira contendo quantidades nominais do token PRCLS já foram impressos em papel e vendidos aos compradores, com cada endereço da carteira representando diferentes “momentos inestimáveis” compartilhados entre Ai e Abosch, ilustrando como o token pode representar valor.

“A partir do momento em que nascemos, as pessoas tentam atribuir valor a nós – ‘oh, aquele menino é tão cheio de potencial, ou oh, aquela garota é inútil’ – é algo que a sociedade faz para nós e é algo que fazemos a nós mesmos. Nosso projeto é apenas mais uma coisa para envolver as pessoas na esperança de que elas gastem um pouco mais de tempo refletindo sobre a perversidade de como a maioria de nós atribui valor às coisas”, disse Abosh.

Weiwei e Abosch planejam distribuir mais amplamente o tokens PRCLS em setembro e se concentrarão em colocá-lo nas mãos de instituições, acadêmicos e, em geral, de qualquer pessoa que possa ampliar a conversa em torno do valor da vida humana e de quão “ferrado” tudo está agora. Weiwei e Abosch se conheceram anos atrás quando foram apresentados por um amigo em comum, e o PRICELESS marca sua segunda obra colaborativa (o primeiro foi um trabalho fotográfico chamado “Transmission”, em 2016).