Início Notícias Roger Ver rebate Jimmy Song e diz que o Bitcoin Cash não...

Roger Ver rebate Jimmy Song e diz que o Bitcoin Cash não é moeda fiduciária

232
0
Roger Ver rebate Jimmy Song e diz que o Bitcoin Cash não é moeda fiduciária

A disputa entre dois dos principais evangelistas das criptomoedas continua. No início de setembro, Roger Ver, dono do site Bitcoin.com e principal apoiador do Bitcoin Cash (BCH), esteve em um cruzeiro marítimo onde participou de um debate com Jimmy Song, desenvolvedor do Bitcoin Core e um dos grandes entusiastas do Bitcoin (BTC).

Song publicou um texto no qual expôs os seus argumentos para defender uma tese polêmica: a de que o BCH seria apenas mais uma moeda fiduciária, a qual não apresenta nenhuma diferença frente ao dólar, euro e outras moedas estatais. No texto, Song chama o BCH de uma moeda cuja natureza é “paternalista, intervencionista e keynesiana, condizente com suas raízes corporativas e é uma moeda fiduciária”.

Agora, foi a vez de Ver expôr os seus argumentos para tentar rebater as afirmações de Song. Através de um texto em seu site, o empresário colocou argumentos em defesa ao BCH. Confira!

Desde o surgimento das criptomoedas, alguns críticos as apelidaram de “apenas mais uma moeda fiduciária”. Esse tem sido o lamento dos detratores das criptomoedas. Eles sucumbiram a agarrar-se a fiapos para fabricar qualquer refutação contra aquilo que detestam. Não importa quão válido seja o argumento, desde que satisfaça seu desejo de difamar as criptomoedas.

Não-argumento

Usar esse tipo de não-argumento é como ressuscitar os mortos. Quando não se pode contar com a verdade para ganhar o debate, eles voltam no tempo para declamar bordões velhos e já exaustos. Jimmy Song realizou seu próprio ritual pelos mortos durante um debate com Roger Ver no Coinsbank Cruise em 10 de setembro.

Em vez de articular um problema legítimo com o BCH, Jimmy alegou que ele é uma “moeda fiduciária centralizada”. Isso é virtualmente a mesma premissa (errada) que os detratores das criptomoedas anunciaram desde que Satoshi escreveu o white paper, incluindo aqui pessimistas como Peter Schiff. Foi uma tragédia testemunhar isso, porque moeda fiduciária significa algo totalmente diferente do que Jimmy acredita ser.

O que é moeda fiduciária?

A moeda fiduciária é dinheiro emitido por decreto ou autorização formal. Para ser mais específico, por decreto significa algo apoiado pela alegada autoridade de um governo, e então imposto à população por lei – geralmente sob a mira de uma arma. Geralmente, quando um dinheiro é imposto pelo governo, usar outros tipos de moedas concorrentes a ele é considerado um ato criminoso.

Por exemplo, quando Bernard Von Nothaus criou o Liberty Dollar e tentou colocá-lo em circulação, bandidos de farda (sic) invadiram a sede de sua empresa. Eles o colocaram na cadeia e acusaram-no de falsificação e fraude.

Ninguém está forçando ninguém a usar o BCH. Nenhum homem de farda aparecerá para prender aqueles que usam BCH. É uma criptomoeda voluntária e opcional.

Aqui está a definição de “fiat” de acordo com o site Investopedia: “A moeda fiduciária é uma moeda que um governo declarou ter curso legal, mas não é lastreada por uma mercadoria física.”

Por que o Bitcoin Cash não é uma moeda fiduciária

É por isso que o BCH, ou qualquer outra criptomoeda, não é uma moeda fiduciária. Ele não é decretado ou autorizado por um governo. Não é “moeda de curso forçado”. É possível que uma moeda digital possa eventualmente ser decretada por um governo, mas então é provável que a “criptomoeda” em questão não seja criptomoeda no sentido tradicional que conhecemos.

Por exemplo, o governo russo falou sobre a criação do “Crypto Rublo”, que atuaria como uma versão de criptomoeda da moeda fiduciária do país. O problema é que ela não seria minerável, e seria manipulável por esse governo. Uma verdadeira criptomoeda não possuiria esses “recursos”.

Argumentos de Jimmy

Jimmy afirmou que o BCH era uma moeda fiduciária, porque ele acreditava que era “centralmente organizada”. Jimmy mencionou que o BCH era “paternalista e keynesiano”. Ele também disse que era “controlado por uma autoridade central”.

BCH é uma criptomoeda de código aberto e peer-to-peer (P2P) em que qualquer pessoa pode se envolver e usar. Não é algo “keynesiano”. A quantidade de criptomoeda emitida não pode ser arbitrariamente determinada. Ele é determinado pelo protocolo e é exatamente o mesmo que Bitcoin: 21 milhões de unidades serão cunhadas até o ano 2140.

Economistas keynesianos acreditam que a economia deve ser controlada e estabilizada pela impressão governamental de dinheiro para evitar uma catástrofe econômica. O protocolo do BCH funciona antiteticamente à ideologia keynesiana. Ninguém pode inflacionar ou esvaziar arbitrariamente o fornecimento do BCH.

Claramente, Jimmy não leu a fonte primária da economia keynesiana, como Roger assinalou.

Centralização

Jimmy pode estar apenas tentando argumentar que o BCH é centralizado. No entanto, isso é um argumento MUITO DIFERENTE do que afirmar que ele é uma moeda fiduciária. É claro que a maioria das pessoas que afirmam que algumas criptomoedas são “centralizadas”, elas não definem o que querem dizer com “centralizadas”. O Bitcoin e o BCH também são um pouco centralizados em termos de operações de mineração. No entanto, o problema é exagerado.

Mineração em Bitcoin e em BCH é mais centralizada como resultado da adoção limitada. Isso significa que apenas um punhado de pools de mineração controla as redes. No entanto, quanto mais usuários começarem a adotar criptomoedas, mais operações de mineração aparecerão. Isso irá mitigar o problema da centralização. Independentemente disso, o que importa é que a criptomoeda permanece resistente à censura.

A esse respeito, o BCH é mais resistente à censura do que o Bitcoin, que teve as transações censuradas porque ficaram presas no banco de dados quando as taxas subiram vertiginosamente. Nesse sentido, pode-se argumentar que o Bitcoin é menos resistente à censura do que o BCH. Portanto, o Bitcoin é mais “centralizado”.

Paternalismo e código aberto

A alegação de Jimmy de que o BCH é paternalista foi o comentário mais problemático do debate. Uma criptomoeda paternalista seria controlada por um grupo oligárquico de desenvolvedores. Em termos do ecossistema, o BCH não se encaixa nesse critério. Trata-se de um projeto open source, no sentido de que os desenvolvedores têm ampla margem de manobra para construir protocolos em cima dele.

Muitos dos códigos operacionais foram reativados no protocolo do BCH. Isso significa que os desenvolvedores têm a capacidade de criar novas ferramentas e programas. Alguns já foram desenvolvidos, como o protocolo Wormhole e plataformas como o Memo.cash. Ironicamente, isso é impossível na rede do Bitcoin Core por causa de uma mistura de altas taxas, códigos operacionais desativados e hegemonia do desenvolvedor.

Se levarmos isso em conta, o Bitcoin Core é mais “paternalista” e rigoroso em termos de quem tem o direito de desenvolver em cima do protocolo de uma forma verdadeiramente aberta. Qual protocolo é realmente o mais “paternalista”?

Conclusão: melhore seu argumento, Jimmy

No final, Jimmy não conseguiu reunir um forte argumento contra o BCH, então ressuscitou cadáveres e recorreu a anotações de bolso. A tragédia é que certamente há questões que precisam ser abordadas em relação ao BCH, mas ser uma “moeda fiduciária” não é uma delas.

Isso sugere que Jimmy não pretendia argumentar contra o BCH, mas queria incitar o drama durante um debate. Foi surpreendente que ele tivesse premissa toda a sua posição sobre um argumento que algumas pessoas fazem contra o próprio Bitcoin Core.

loading...
Garanta já sua vaga para o Block Summit SPCLIQUE AQUI