Início Mineração Relatório revela que a mineradora de navegador Coinhive chega a minerar US$250...

Relatório revela que a mineradora de navegador Coinhive chega a minerar US$250 mil em Monero por mês

951
0
Relatório revela que a mineradora de navegador Coinhive chega a minerar US$250 mil em Monero por mês

A lucratividade da atividade de mineração de criptomoedas está diminuindo no cenário de baixa que o mercado vivencia este ano, porém, a Coinhive parece estar indo muito bem. A mineradora de criptomoedas baseada em navegador ganhou um US$1 milhão em Monero em apenas um mês, de acordo com um novo estudo conduzido por pesquisadores alemães.

Segundo o artigo publicado pela agência de notícias Bitcoim.com, a Coinhive, mineradora baseada em Javascript que tira um pouco da capacidade de CPU dos usuários para minerar criptomoedas enquanto eles navegam na internet, permanece muito ativa. Essa é uma das principais conclusões de um relatório produzido por acadêmicos da Rheinisch-Westfälische Technische Hochschule Aachen, ou da RWTH Aachen University, na Alemanha. O software minera Monero (XMR), a moeda líder em privacidade, cuja luta para permanecer resistente aos ASICs resultou em vários forks este ano.

De acordo com o estudo, a mineradora gerou 1.271 XMR, ou aproximadamente US$250 mil em Monero, durante o período de observação de quatro semanas recentemente. Atualmente, com a cotação atual da moeda em cerca de US$88 por unidade, o montante ainda é substancial – mais de US$110 mil.

Estima-se também que a Coinhive extrai 1,18% de todos os blocos de Monero com uma taxa média de hash de 5,5 milhões de h / s. Seus desenvolvedores recebem 30% de cada moeda minerada e os autores da pesquisa afirmam que a maior parte da comissão é enviada para um pequeno grupo de pessoas.

Lançada em 2017, a Coinhive foi criada para facilitar os sites que oferecem aos visitantes uma experiência sem anúncios em troca do uso do seu hardware para minerar criptomoedas como a Monero. A ausência de propagandas, no entanto, vem com velocidades de navegação mais lentas à medida que a mineradora trabalha em segundo plano. Outros fatores, como a redução da duração da bateria dos dispositivos móveis, o aumento das contas de energia e a queda dos preços das criptomoedas mineradas também devem ser levados em conta ao avaliar como a mineração viável no navegador é uma alternativa ao financiamento baseado em anúncios.

Além disso, esses não são os únicos pontos negativos – os hackers aprenderam há muito tempo como aproveitar o código de mineração. Eles costumam invadir sites, incluindo as páginas oficiais de instituições governamentais, para instalar a Coinhive e configurá-la para enviar as moedas mineradas para suas próprias carteiras. As extensões do navegador também foram segmentadas e, de acordo com um relatório recente, os roteadores também.

Analisando a mineração baseada em navegador como um novo modelo de geração de receita para monetizar sites sem anúncios, os pesquisadores da maior universidade técnica alemã inspecionaram o código de mineração dos domínios Alexa Top 1M e .com / .net / .org. Eles conseguiram confirmar a utilização do software de mineração de navegador, mas a prevalência permanece baixa, com menos de 0,08% dos sites.

Insatisfeitos com os resultados do filtro No Coin, uma extensão disponível no Google Chrome, Mozilla Firefox e Opera, os pesquisadores usaram uma técnica alternativa baseada em impressões digitais da Webassembly para identificar mineradores e descobriram que até 82% dos sites de mineração eram não detectados por listas de bloqueio populares.

Os autores do estudo concluíram que a Coinhive é a maior provedora de mineração baseado em navegador, usada por 75% dos sites de mineração de criptomoedas. Inspecionando o serviço de encaminhamento de links da Coinhives, eles também descobriram que “10 usuários pesados ​​contribuem com mais de 80% de todos os links curtos, principalmente direcionando serviços de streaming e compartilhamento de arquivos”.

COMPARTILHAR
Publicitária, planejadora estratégica e entusiasta do universo cripto. Confia nas mudanças que a tecnologia irá trazer para a sociedade.