Início Notícias Que tal minerar bacon enquanto navega na internet?

Que tal minerar bacon enquanto navega na internet?

681
0

A proposta do título deste artigo parece surreal, mas esta é, literalmente, a intenção do fabricante de carnes norte-americano Oscar Mayer, de propriedade da Kraft Heinz e reconhecido por seus produtos embutidos, inclusive pelo maior deles, o bacon. Recentemente, a empresa lançou até mesmo um comercial para explicar a proposta, com um “B” muito similar o símbolo do Bitcoin.

A estratégia da empresa, que afirma que o Bacoin é a primeira criptomoeda do mundo apoiada pelo padrão-ouro do bacon, no fundo não tem nada a ver com as criptomoedas, mas sim com marketing, e oferece uma série de incentivos online para gerar engajamento de usuários nas mídias sociais e com isso promover marca da empresa. Para isso, as pessoas que se engajarem no projeto podem “minerar” os Bacoins (que não circulam em blockchain ou tem qualquer DLT por trás).

Por sua vez, os Bacoins virtuais, que são como um programa de pontos, podem ser convertidos em fatias de bacon real, de acordo com a empresa. Atualmente, um único Bacoin está cotado em três fatias de bacon real. No entanto, se você está pensando em ceder seu poder “social” para arrecadar algumas fatias de bacon, a critpomoeda só esta disponível atualmente nos EUA.

COMPARTILHAR
Toda honra e Glória pertencem a Deus sempre. Publicitário e Produtor Cultural. Entusiasta de tudo aquilo que o Estado não consegue controlar. Abaixo aos muros, que se construa janelas para o amanhã