Início Notícias Playboy entra com processo contra a startup de blockchain

Playboy entra com processo contra a startup de blockchain

690
1
Playboy entra com processo contra a startup de blockchain

Segundo o artigo publicado pela agência de notícias Coindesk, a editora de entretenimento adulto Playboy está processando uma startup canadense de blockchain por fraude e violação de um contrato que as duas empresas assinaram no início deste ano.

De acordo com um processo aberto no início de agosto no Tribunal Superior de Los Angeles, EUA, a Playboy e a Global Blockchain Technologies (GBT) assinaram um memorando de entendimento em março afirmando que a GBT ajudaria a Playboy a integrar o Vice Industry Token (VIT) em suas plataformas.

A Playboy planejou usar o token para recompensar seu público por assistir vídeos, escrever comentários e votar em conteúdos.

Na época, a Playboy também anunciou uma venda de tokens, dizendo que introduziria uma carteira de criptomoedas nos sites da empresa para suportar várias moedas para os usuários gastarem e ganharem. Em maio, a GBT também anunciou que estava trabalhando com a Playboy Enterprises Inc. para integrar a carteira digital do VIT no portal Playboy.tv.

Segundo o acordo, a GBT deveria fornecer suporte técnico “sem custo” para a Playboy e pagar à empresa US$4 milhões para licenciar a marca Playboy em seus próprios materiais promocionais. O pagamento foi devido em 16 de julho, disse o processo.

Além disso, a GBT supostamente deveria limpar qualquer menção de pornografia do site do Vice Industry Token e “refazer o site do VIT com orientação de vídeoe entretenimento mais generalista”.

A Playboy argumentou que a GBT não forneceu nenhum serviço de suporte à tecnologia, renomeando o site do VIT ou pagou os US$4 milhões. No entanto, a GBT usou a marca Playboy para atrair investidores, assegurando-lhes falsamente que todos os projetos da empresa estão “dentro do prazo”, disse a Playboy.

O presidente da GBT, Shidan Gouran, disse à CoinDesk em um e-mail que “alegações da Playboy não têm mérito” e que a GBT “não tem problema” se defendendo “vigorosamente contra ações judiciais frívolas”, embora tenha se recusado a fornecer detalhes sobre o atual status de desenvolvimento da carteira VIT.

Representantes da Playboy não responderam a um pedido de comentário até o momento.

COMPARTILHAR
Publicitária, planejadora estratégica e entusiasta do universo cripto. Confia nas mudanças que a tecnologia irá trazer para a sociedade.