Início Notícias Novos avanços na Lightning Network são divulgados

Novos avanços na Lightning Network são divulgados

779
1
Novos avanços na Lightning Network são divulgados

A Blockstream anunciou a implementação de sua solução de escalabilidade para a rede do Bitcoin, a c-lightning 0.6. A nova implementação é baseada na linguagem de programação C e traz nova arquitetura e capacidade para atender necessidades e infraestruturas específicas.

Entre os recursos mais importantes da versão, estão a capacidade de executar nós em dispositivos de baixa potência, como os minicomputadores Raspberry Pi. Anteriormente, para acessar a rede do Bitcoin, era necessário um nó completo. Com essa implementação, os nós da nova rede começam a tornar-se tão acessíveis quanto os nós tradicionais.

Na versão anterior do c-lightning, as visualizações completas da rede tinham que ser trocadas, mas agora com atualizações para o protocolo gossip, o mecanismo de largura de banda é mais leve e apenas solicita informações específicas, sem a necessidade de grandes modificações. Para smartphones e outros dispositivos de baixa potência isso é essencial, pois reduz o consumo de energia e largura de banda e torna esses aparelhos mais competitivos para executar um nó, democratizando e descentralizando a rede, o que amplia a sua possibilidade de adoção.

A versão 0.6 da c-lightning também encerrou o manuseio primitivo de transações, uma vez que ela vem com uma carteira completa que gerencia tanto os fundos off-chain quanto on-chain. Outra novidade é um atrativo para quem gosta de utilizar a deep web: a versão 0.6 trouxe o suporte para TOR, o navegador usado para acessar a chamada rede profunda, permitindo conexões a nós através da rede. Além disso, conexões de entrada através da rede TOR também são aceitas.

No início do ano, a Blockstream Store foi revelada e isso resultou em um tremendo crescimento para a Lightning Network (LN). No momento do lançamento da loja, a capacidade da rede era de 0,682 BTC, enquanto o número de canais abertos era de 46. Em menos de seis meses, a capacidade do canal cresceu 16,85%, atingindo um total de 7.800 canais abertos. A capacidade da rede, por outro lado, cresceu em 4,08% e alcançou 26 BTC durante o mesmo período.

Outras implementações da LN

A Blockstream trouxe várias implementações novas, muitas das quais certamente irão contribuir para a maior disseminação da LN, a qual é esperada como a maior mudança, em termos de escalabilidade, da história atual do Bitcoin.

Outras empresas também lançaram inovações e processos de melhorias para a LN. A ACINQ e Lightning Labs lançaram versões beta de suas soluções de escalabilidade. A implementação da ACINQ, a carteira Eclair (a palavra francesa para “Lightning”), é escrita usando a linguagem de programação Scala.

Já a Lightning Labs divulgou a versão 0,4 beta da sua implementação em Lightning Network, a Ind, lançada no início do mês passado. A linguagem de programação utilizada no desenvolvimento do Ind é Go. Embora tenha sido a primeira versão beta na rede principal da Lightning Labs, este foi o quarto grande lançamento da Ind.

Algumas das melhorias introduzidas na versão beta do Ind incluíram melhorias no sistema de criação e recuperação de chaves, simplificando e aumentando a confiabilidade no que diz respeito à recuperação de dados corrompidos ou perdidos. A tolerância a falhas também foi aprimorada com o objetivo de garantir que os fundos dos usuários estejam protegidos e seguros em caso de falhas de hardware, rede ou panes elétricas, bem como outras eventualidades adversas.

Com o rápido e crescente avanço do ecossistema, aumenta a ansiedade para finalmente saber quando será possível conferir todos os avanços da LN em tempo real, através do seu lançamento na rede principal do Bitcoin. Tal como foi o SegWit para as taxas de transações, a LN pode trazer uma nova era em termos de escalabilidade e, consequentemente, maior adoção do Bitcoin como moeda de fato.