Início Notícias Mesmo com a queda de preço, o Bitcoin supera o ouro em...

Mesmo com a queda de preço, o Bitcoin supera o ouro em volume de liquidações

643
0
Mesmo com a queda de preço, o Bitcoin supera o ouro em volume de liquidações

A resiliência do Bitcoin em termos de tecnologia e utilidade pode ser conferida quando analisamos os seus avanços e deixamos de lado a queda no preço. Mesmo com 70% de desvalorização em 2018, a criptomoeda continua a superar diversos ativos tradicionais em vários aspectos.

Um deles é o ouro. Após o criptoativo ter superado o valor da cotação do metal no ano passado, e até mesmo ter superado o ouro no Google Trends, ele continua a apresentar vantagens neste ano De acordo com Nic Carter, um respeitado pesquisador de criptomoedas, o Bitcoin superou o mercado de balcão (OTC) do ouro em volumes de liquidação, mesmo em meio à uma queda de 70% em seu preço.

Bitcoin como um meio de troca melhor

De acordo com as estatísticas de compensação do Mercado de Ouro de Londres (LBMA), um dos maiores do mundo, feita com alguns de seus principais membros, incluindo HSBC, ICBC Standard Bank, JPMorgan, Scotiabank e UBS, o mercado global de ouro OTC já liquidou o equivalente a US$446 bilhões em 2018, tendo liquidado, em média, menos de US$30 bilhões por mês desde janeiro.

A liquidação é uma forma importante de identificar o quanto um determinado ativo está sendo utilizado pelo mercado como um meio de troca ou para a transferência de valores.

Em contraste, com base nos dados fornecidos pela Coin Metrics, provedora de dados sobre criptoativos, o mercado de Bitcoin já processou US$848 bilhões neste ano, e está a caminho de superar US$1,38 trilhão até o final do ano.

Dado que o LBMA responde por pelo menos 70% do volume global de ouro no mercado de balcão, podemos concluir que, com um volume atual de US$848 bilhões, o Bitcoin já estabeleceu um maior valor de liquidação nos últimos oito meses do que o volume previsto de liquidação de todo o mercado de ouro em 2018.

E o criador da Coin Metrics compartilha essa visão. Carter explicou:

“Estimo, de maneira conservadora, que o mercado de balcão de ouro em Londres, supervisionado pelo LBMA, representa 70% dos volumes globais. Eles publicam estatísticas de compensação. Com estas em mãos, posso estimar o volume total líquido de liquidação de ouro regulamentado em US$446b para 2018 (com base em seis meses de dados). Conservadoramente, (estimativas ajustadas), o Bitcoin liquidou US$848 bilhões até o momento, e está a caminho de liquidar US$1,38 trilhão. O Bitcoin, aparentemente, superou silenciosamente o mercado de ouro nos volumes de liquidação.”

A comparação oferecida por Carter não incluiu outros ativos digitais, como Ether, XRP, Bitcoin Cash, Cardano e outros, mantendo o foco apenas no Bitcoin.

O que mantém a queda?

A enorme discrepância no volume de liquidações no mercado de ouro e do Bitcoin demonstrou que o mainstream começou a reconhecer e adotar o Bitcoin como uma importante reserva de valor e um meio de troca, devido às suas impressionantes vantagens sobre o ouro, como maior fungibilidade, liquidez e transportabilidade.

Então, o que estaria mantendo o preço do criptoativo em baixa desde o início do ano?

Nikolaos Panigirtzoglou, analista sênior do banco JP Morgan, disse em dezembro de 2017 que os criptoativos poderiam evoluir e competir com ativos tradicionais como ouro, caso instrumentos financeiros mais negociados publicamente e estritamente regulados, como mercados futuros e fundos negociados em bolsa (ETFs) fossem introduzido nos mercados dos EUA.

Ele explicou:

“No geral, a introdução prospectiva de futuros de bitcoin tem o potencial de elevar as criptomoedas para uma classe de ativos emergente. O valor desta nova classe de ativos é uma função da amplitude de sua aceitação como uma reserva de riqueza e como meio de pagamento e simplesmente julgando por outras lojas de riqueza, como o ouro, as criptomoedas têm o potencial de crescer ainda mais daqui.”

Assim, podemos avaliar que os investidores estão atentos aos novos passos dados pela SEC, e, enquanto isso, mantém-se de fora do mercado. Caso a proposta altamente do ETF de Bitcoin da CBOE seja aprovada pela SEC até fevereiro de 2019, o prazo final estipulado pelo órgão, então ele abrirá ainda mais investidores para o mercado de criptomoedas.