Muito tem sido noticiado, especulado e falado sobre o tal “mercado de futuros” de Bitcoin, inclusive aqui no Criptomoedas Fácil, em que noticiamos diversas vezes os anúncios de bolsas por todo o mundo que estão ou pretendem listar a criptomoeda como um ativo de negociação. É inegável que o fato de que a inclusão do Bitcoin em algumas das maiores bolsas de derivativos do mundo oferece à moeda digital uma credibilidade institucional única e incrível. Já diziam figuras como Karl Marx e Adam Smith, a economia é a base da construção social e, a partir da organização desta, as “teias” sociais são construídas, sendo assim um reconhecimento da moeda pelos grande players econômicos é como se o fosse um certificado de credibilidade para a moeda digital, tão criticada por governos e ortodoxos em economia atualmente.

Como todos sabem, o mercado não tem religião e nem ideologia, a ele interessa tudo aquilo que pode ser capitalizado, monetizado e convertido em lucro, seja uma camisa com o rosto do Che Guevara ou então livros de auto-ajuda empresarial, tudo é negócio. Será que os touros de Wall Street estão realmente interessados na ideia do Bitcoin e em toda sua filosofia, ou estão apenas desenvolvendo uma forma de ganhar mais dinheiro ainda? Para o investidor comum, aquele que conta seu dinheiro e passa horas no trade diário procurando converter seu lucro em mais satoshis, o que esse tal de mercado futuro pode significar? Um artigo de Lanre Sarumi, publicado pela Coindesk, agência de notícias especializada em cripto, tenta responder algumas destas questões.

Segundo Lanre, não apenas as baleias podem ser devoradas pelo tal futuro, mas qualquer outro crustáceo menor que opte por ignorar o potencial impacto que um mercado de derivativos pode ter em uma mercadoria subjacente. Você vê, no mercado de caixa, o mercado de compra e venda do dia-a-dia, as “baleias Bitcoins” nadarem entre outras vidas marinhas Bitcoin sem necessariamente atacar seus co-habitantes. A razão é simples: todo mundo no mercado de caixa está financeiramente incentivado a manter o preço do Bitcoin alto. Porém, no mercado de futuros há tanta recompensa para as criaturas em todas as camadas, seja na parte de baixo ou na de cima, e uma riqueza tremenda pode ser criada em um mercado em queda, como pode ser em um mercado crescente. Há incentivos em ambos os lados.

Essencialmente, o mercado de caixa do Bitcoin é como um rio. Seu fluxo é dependente de constantes e, portanto, geralmente flui em uma direção. O mercado de futuros Bitcoin, por outro lado, é como um oceano com circulação termohaliana (Circulação oceânica profunda): seu fluxo depende de muitas variáveis. A vida marinha no mercado de futuros não é tão amigável. As águas estão infestadas com baleias assassinas. Predadores que se alimentam de outras baleias ou até mesmo que se alimentam de si mesmos.

Assim tanto otimismo com a estreia da moeda nos mercados de futuros pode não significar, necessariamente, um incremento no valor do Bitcoin no “mercado de caixa”, afinal, como vislumbramos, ambos os mercados são diametralmente opostos, a grande diferença, para simplificar, é que no mercado de caixa, exchanges por exemplo, são preenchidos por otimistas, enquanto os integrantes dos futuros são pessimistas.

Dito de outra forma, os mercados de caixa foram criados para investidores, enquanto o mercado de futuros foi criado para proteção contra risco. Os investidores vão aos mercados de caixa porque acreditam que o valor dos ativos aumentará. No mercado futuro a motivação é outra, eles entram porque não querem que o preço de determinado ativo mova-se contra eles. Por exemplo, um agricultor de milho vende contrato de futuros porque teme que o preço caia e quer garantir um preço para o seu milho enquanto ele eventualmente realiza a colheita. Já um fabricante que usa o milho compra um contrato de futuros porque teme que o preço do milho aumente. Tanto os compradores como os vendedores, a sua maneira, são pessimistas.

Assim, diferente do mercado de caixa, onde há compra e venda efetiva de um “bem”, no mercado de futuros tudo é pura especulação de mercado, com lastro em um “bem” futuro. O Bitcoin, certamente, irá enfrentar uma forte “prova” que provém de seu próprio sucesso. No mercado futuro pouco importa a escalabilidade da rede, as soluções de Blockchain, os mineradores chineses ou mesmo se a moeda pode ou não vir a tornar-se uma reserva de valor, o importa na verdade são apenas as apostas, sejam elas na alta ou na baixa. Não há baleia que não possa ser engolida por um lambari se não estiver atenta ao movimento das marés.

Os ursos podem dominar os touros? E Vice-versa? Ninguém sabe. A introdução de futuros vai ocasionar um aumento no preço do Bitcoin? Ninguém sabe com certeza, afinal no universo das criptomoedas é pouco provável ter certeza de qualquer coisa.  O que é claro é que se você atualmente possui Bitcoin, apenas derivar neste novo oceano que se abre pode não ser a melhor estratégia. O importante é estar atento nos próximos dias 10 e 18 de dezembro, pois muita coisa pode mudar na criação de Nakamoto.

loading...
COMPARTILHAR

Publicitário e Produtor Cultural. Entusiasta de tudo aquilo que o Estado não consegue controlar. Abaixo aos muros, que se construa janelas para o amanhã

  • Rodrigo França Santana

    rapaz parabéns ao artigo estava pensando nisto,mais agora vejo que querem controlar o bitcoin mesmo tava cara mercado futuro é uma aposta louca, o meus professores economia já explicou um pouco sobre isso,agora ele vai ser amordaçado de vez ao entrar no mercado.

  • Délio Visterine

    Belo texto.