As recentes altas na cotação do bitcoin (cujo valor está em cerca de 11 mil dólares atualmente) fizeram explodir também o seu marketcap, a soma do valor de todas as unidades já emitidas da moeda.

Ao mesmo tempo em que tal soma supera o valor de mercado de varias empresas conhecidas mundialmente, como Netflix e até mesmo a gigante de pagamentos Visa, ela também superou o PIB de diversos países. Entre eles, a Nova Zelândia.

Apesar da especulação contínua sobre o aumento do valor do bitcoin, com varias pessoas chamando-o de bolha, a moeda digital manteve sua escalada para preços mais altos durante o fim de semana. No domingo, o valor do bitcoin chegou próximo dos 12.000 dólares, ficando em cerca de 11.858 dólares, elevando seu valor total de mercado para 198,2 bilhões, de acordo com o site CoinMarketCap.

Essa alta recorde colocou o marketcap do bitcoin acima do valor das economias de vários países, sugerem dados do Banco Mundial. Se o bitcoin fosse um país, ocuparia o 47º lugar entre as economias mundiais, à frente da Grécia (194,5 bilhões), República Checa (192,9 bilhões), Peru (192 bilhões), Romênia (186,6 bilhões) e Nova Zelândia (185 bilhões).

Já o valor de mercado de todas as criptomoedas existentes hoje, avaliado em 338,1 bilhões de dólares, caso fosse um país, ficaria no 31º entre os mais ricos, à frente do Egito (336 bilhões), Hong Kong (320 bilhões), Israel (318 bilhões), a Dinamarca (306 bilhões), Filipinas (304 bilhões) e Cingapura (296 bilhões).

Já havíamos noticiado de que o valor de mercado total de todas as moedas digitais superou o de empresas como Goldman Sachs (94 bilhões), Visa (251 bilhões), Wells Fargo (276 bilhões) e o Bank of America (293 bilhões). No entanto, a grande pergunta é quando, e não se, o mercado de criptomoedas passará o valor de mercado do gigante JPMorgan Chase, avaliado em 363 bilhões de dólares.

Esse aumento no valor do bitcoin é devido ao anúncio de que o Chicago Mercantile Exchange (CME) Group deve iniciar as negociações de contrato de futuros em bitcoin no dia 18 de dezembro. Depois de receber a aprovação da Comissão de Negociação de Futuros de Mercadorias dos EUA (CFTC), Terry Duffy, presidente e CEO do Grupo CME, disse no início de dezembro que:

“Estamos satisfeitos em trazer os contratos futuros de bitcoin para o mercado depois de trabalhar em estreita colaboração com a CFTC e participantes do mercado para projetar uma oferta regulada que proporcionará aos investidores transparência, descoberta de preços e capacidade de transferência de risco”.

A Nasdaq, segunda maior bolsa de valores do mundo em valor de mercado, também revelou estar se preparando para lançar contratos futuros em 2018. De acordo com fontes, os contratos de futuros bitcoin da Nasdaq serão listados no Nasdaq Futures.

No entanto, ao contrário dos quatro índices com os quais o bitcoin se baseará com a CME, a Nasdaq, segundo informes, baseará seus índices de futuros de bitcoin em 50 fontes, tornando-o mais robusto.

Com notícias cada vez mais positivas, o futuro do bitcoin parece ser bom. Os investidores continuam a especular sobre o que 2018 trará para o mercado de bitcoin e outras criptomoedas – e quais outras empresas e economias nacionais ele irá superar em seguida.

loading...
COMPARTILHAR

Coach financeiro, editor-chefe do Instituto Tropeiros e colunista no Criptomoedas Fácil. Escritor e jogador de poker, ambos por paixão e vocação.