Para os órgão reguladores espalhados nos diversos países, o Bitcoin tem se apresentado como um grande enigma. Atualmente, grande parte do mundo tem olhado para a moeda digital e tem discutido sobre o que se trata e como “controlar” um mercado totalmente novo. Enquanto muitos governos de países ocidentais têm demonstrado medo em relação à tecnologia, o Japão adotou uma abordagem totalmente inversa.

O Bitcoin tornou-se um método de pagamento oficial e legal no Japão desde abril deste ano. Um total de 4.500 lojas começaram a aceitar a moeda digital, e o jornal financeiro líder no Japão, acredita que esse volume aumente em cinco vezes. Dentre as lojas que os japoneses podem utilizar Bitcoin como forma de pagamento está a Bic Cam, rede japonesa de lojas de eletrônicos. Os BTMs, caixas eletrônicos que trocam moeda fiduciária por Bitcoin, estão espalhados por todo o país. Além disso, é possível obter descontos através de pagamento de contas de serviços com Bitcoin.

Após o colapso da Mt Gox, no qual a maior corretora de criptomoedas do país sofreu um hack e perdeu 850 mil Bitcoins, os reguladores entraram em vigor. Porém, ao invés de tentar deter o uso da moeda digital, eles implementaram uma série de medidas que incentiva o mercado de criptomoedas. Enquanto isso, muitos governos de países do Ocidente tem dúvidas em relação à regulação das moedas digitais.

Esta semana, o Secretário do Tesouro do Governo do Estados Unidos emitiu seus primeiros comentários públicos sobre Bitcoin. Sua principal preocupação é garantir que a moeda digital não seja usada “para atividades ilícitas“. Essas acusações não são apenas limitadas ao Bitcoin, o universo das criptomoedas é o pesadelo de muitos governos ocidentais e apesar dos órgãos reguladores da maioria desses países não terem batido o martelo da proibição, eles fizeram muito pouco para apoiar a moeda digital.

O Japão é um país com experiência em tecnologia e por isso o seu modelo de regulação de criptomoedas pode ser visto pelos países ocidentais como uma melhor alternativa de regulação. Outros países que também possuem uma “educação tecnológica” avançada provavelmente serão os próximos a adotar as moedas digitais. Na Europa, a Estônia já possui passaportes digitais chamados e-residency e é um país que tem se relacionado positivamente com as criptomoedas, por exemplo.

A regulação do Bitcoin pode representar coisas diferentes em cada país. No Japão, significa tomar medidas para proteger os cidadãos, incentivando o uso responsável do Bitcoin e permitir que empresas de criptomoedas continuem com seus negócios. Em outras nações desenvolvidas, porém, a regulação do Bitcoin é um eufemismo para “anti-lavagem de dinheiro“.

loading...
COMPARTILHAR

Publicitária, planejadora estratégica e entusiasta do universo cripto. Confia nas mudanças que a tecnologia irá trazer para a sociedade.