Início Notícias Irmãos Winklevoss processam Charlie Shrem em mais de US$32 milhões em Bitcoin

Irmãos Winklevoss processam Charlie Shrem em mais de US$32 milhões em Bitcoin

838
0
Irmãos Winklevoss processam Charlie Shrem em mais de US$32 milhões em Bitcoin

Cameron e Tyler Winklevoss estão alegadamente processando Charlie Shrem, um dos primeiros investidores do Bitcoin, alegando que ele ainda lhes deve em relação à um negócio anterior.

De acordo com um relatório do The New York Times publicado nesta quinta-feira, 01 de novembro, Shrem – que anteriormente passou um ano na prisão por lavagem de dinheiro e operação de um negócio de transmissão de dinheiro não licenciado relacionado à exchange BitInstant, que ele mesmo fundou – ajudou os irmãos Winklevoss a investirem em Bitcoin por volta de 2012.

Agindo como seu primeiro consultor de criptomoedas, de acordo com o NYT citando um processo lançado pelos gêmeos em setembro e revelado recentemente, Shrem aceitou US$750.000 para comprar Bitcoin em seu nome. Mais tarde, em setembro de 2012, eles lhe deram US$250.000 para o mesmo fim, alega a ação, mas depois perceberam que Shrem não havia dado a eles o valor total da quantia em Bitcoin.

Eles agora afirmam terem sidos “fraudados” em aproximadamente 5 mil Bitcoins, que valem cerca de US$32 milhões conforme o preço atual da criptomoeda. Na época do acordo em 2012, um Bitcoin valia cerca de US$12,50.

Os irmãos Winklevoss alegam que apelaram para que Shrem pagasse pelas criptomoedas que ele estava devendo, mas que isso não aconteceu. Especificamente, o processo alega que as compras extravagantes que Shrem tem feito desde que deixou a prisão há dois anos – apesar de ter dito anteriormente que ele tinha quase nenhum dinheiro no momento do cumprimento da pena – incluindo dois carros esportivos Maserati, duas lanchas e uma propriedade US$2 milhões na Flórida, EUA provavelmente estão sendo financiadas pelo alegado desvio de criptomoedas sobre os gêmeos.

“Ou Shrem tem tido incrivelmente sorte e sucesso desde que deixou a prisão, ou – mais provável – ele adquiriu suas seis propriedades, dois Maseratis, duas lanchas e outras explorações com o valor apreciado dos 5.000 Bitcoin ele roubou”, o processo afirma, de acordo com o NYT.

Shrem agora teve alguns bens congelados pelo juiz que preside em seu julgamento anterior, de acordo com os documentos do tribunal.

Em um comunicado divulgado no NYT, o advogado de Shrem, Brian Klein, disse:

“O processo alega erroneamente que cerca de seis anos atrás Charlie basicamente desviou milhares de Bitcoins. Nada poderia estar mais longe da verdade. Charlie planeja se defender vigorosamente e rapidamente limpar seu nome.”

Shrem iniciou sua ordenada prisão de dois anos em março de 2015, embora no final só tenha cumprido um ano.

CEO da exchange de Bitcoin agora extinta BitInstant, Shrem foi condenado para ter violado as regras anti-lavagem de dinheiro por lidar com um cliente que forneceu US$1 milhão em Bitcoin para pessoas que compraram drogas no mercado online Silk Road.

Shrem entrou em um acordo no tribunal, concordando em perder US$950.000 para o governo dos EUA como condição para o cumprimento do acordo.

O último acordo pode voltar a assombrar o Shrem, de acordo com o NYT, que diz que uma declaração juramentada apresentada no tribunal indica que o Shrem não pagou os US$950 mil ao governo.

Siga o Criptomoedas Fácil no InstagramCLIQUE AQUI !!!