Início Notícias Exchange sul-coreana Bithumb bloqueia sua plataforma em 11 países

Exchange sul-coreana Bithumb bloqueia sua plataforma em 11 países

272
0
Exchange sul-coreana Bithumb bloqueia sua plataforma em 11 países

Segundo artigo publicado pela Bitcoin News, agência de notícias especializada no universo cripto, a Bithumb, maior corretora de criptomoedas da Coreia do Sul, anunciou que bloqueará o comércio em 11 países como parte da revisão de seus regulamentos internos, que visa impedir atividades de lavagem de dinheiro que possam usar o seu sistema. Os usuários estrangeiros também precisarão passar por um processo de verificação mais rigoroso.

A Business Korea, agência de notícias local, disse:

“Com as crescentes preocupações com atividades como lavagem de dinheiro através do comércio de criptomoedas, a Bithumb, maior corretora de criptomoedas da Coreia do Sul, proibirá o comércio de ativos digitais com investidores na Coreia do Norte, Irã, Iraque e outros oito países considerados de alto risco pela Iniciativa de Países e Territórios Não-Cooperativos (NCCT, na sigla em inglês).”

Até o fechamento deste artigo, o volume de negociações da Bithumb nas últimas 24 horas ultrapassou o da Upbit, ficando em torno de US$250,41 milhões. O volume de negociação da Upbit no mesmo período é de aproximadamente US$235,1 milhões, de acordo com dados da ferramenta Coinmarketcap.

Para evitar a entrada de fundos relacionados ao “terrorismo internacional e ao crime”, usuários de países do NCCT “devem ser bloqueados”, escreveu a Bithumb, acrescentando que novos membros desses países não serão aceitos e membros existentes serão bloqueados a partir do dia 21 de junho.

A Bithumb diz que a auto-imposição dessas regras rígidas visam promover a transparência no mercado de criptomoedas e a proteção dos investidores. “Vamos cooperar com o governo” e seguir medidas de autorregulamentação baseadas nas políticas introduzidas pela Korean Blockchain Association, enfatizou a exchange. A Korean Blockchain Association está liderando a autorregulação entre as corretoras de criptomoedas no país. Os regulamentos internos revisados ​​da Bithumb refletem “as recomendações do governo e as recomendações da Korean Blockchain Association”, elaborou o Korea Economic Daily.

Bloqueio a 11 países

O Grupo de Ação Financeira Internacional (FATFI, na sigla em inglês) é uma organização intergovernamental por iniciativa do G7 para desenvolver políticas de combate à lavagem de dinheiro.

O NCCT é composto por países que o FATF “reconheceu como regiões com políticas e regulamentos insuficientes para restringir a lavagem de dinheiro e a utilização de várias formas de dinheiro para financiar operações ilegais, incluindo a Coreia do Norte, Irã, Iraque e Sri Lanka”, descreveu a Coreia do Sul.

Segundo o site da Bithumb, os outros países são: Sérvia, Etiópia, Síria, Trindade e Tobago, Tunísia, Vanuatu e Iêmen.

“Os 11 países monitorados pela Iniciativa NCCT” serão banidos, a agência de notícias reiterou, observando que a Bithumb tomou essa decisão “para evitar que sua infraestrutura e plataforma sejam usadas para lavagem de dinheiro e qualquer outra atividade criminosa”, adicionado:

“Em breve, a Bithumb em breve que usuários estrangeiros passem por um processo de verificação mobile para garantir que os usuários não possam enganar a plataforma falsificando informações pessoais e endereços residenciais a partir do próximo mês.”

COMPARTILHAR
Publicitária, planejadora estratégica e entusiasta do universo cripto. Confia nas mudanças que a tecnologia irá trazer para a sociedade.