Início Notícias EUA começa a discutir possível regulamentação de criptomoedas

EUA começa a discutir possível regulamentação de criptomoedas

1397
5

O Congresso norte-americano realizará nesta terça-feira, 06 de fevereiro, uma audiência que promete ter grandes consequências para o mercado das criptomoedas e que contará com a presença dos dois principais órgãos reguladores do mercado financeiro dos Estados Unidos.

J. Christopher Giancarlo, presidente da Comissão de negociação de futuros de commodities (CFTC, na sigla em inglês), e Jay Clayton, presidente da Comissão de Segurança e Câmbio (SEC, na sigla em inglês), discutirão sobre criptomoedas juntamente com o Comitê Bancário do Senado norte-americano temas como: ofertas iniciais de moedas, Bitcoin, blockchain, criptomoedas, entre outros.

Durante últimos meses, as duas agências reguladoras apresentaram ações judiciais contra fraudes, supervisionaram o lançamento de futuros de Bitcoin, emitiram avisos aos investidores e, consequentemente, se aproximaram de um ambiente em rápida evolução que testou os limites de seu alcance, de acordo com palavras dos seus próprios líderes.

Porém antes da audiência, conforme relatos da Coindesk, agência de notícia norte-americana, ambos presidentes deram uma prévia daquilo que deverão apresentar na audiência: o mercado de criptomoedas precisa ser regulamentado e não proibido, é preciso criar formas para que o governo dos EUA tenha o controle deste mercado, no entanto, também é preciso garantir seu desenvolvimento e as leis devem se esforçar para “não prejudicar” o mercado em crescimento.

Notícia pode acalmar do mercado das criptomoedas

A notícia é, sem dúvida, positiva e se confirmada pode acalmar o mercado das moedas digitais, afinal os EUA não são apenas uma das maiores economias do mundo, como também são referência para diversos assuntos, inclusive econômicos. Um posicionamento norte-americano em relação à regulação das criptomoedas pode trazer esperança ao mercado em meio a um ambiente mais favorável se comparado à movimentação de banimentos totais praticados por alguns países, como a China. A regulação das criptomoedas também pode, e certamente irá, atrair mais investidores do varejo e também das grandes bolsas. Além disso, o país norte-americano pode servir de vitrine para outros países que também desejam implementar regulações preservando o desenvolvimento tecnológico, como é o caso de Israel, por exemplo.

Como destacou a imprensa internacional, os prévias divulgadas pelos presidentes oferecem apenas uma breve ideia do que pode ser debatido durante a audiência. É difícil prever exatamente o que pode acontecer, mas tudo indica que existe uma linha de pensamento clara entre as agências reguladoras e o Congresso norte-americano, que é de regulamentar e não de proibir as criptomoedas.

O Criptomoedas Fácil irá acompanhar os desdobramentos da audiência.