Início Notícias ETF versus ETN: confira as semelhanças e diferenças entre os dois produtos

ETF versus ETN: confira as semelhanças e diferenças entre os dois produtos

485
0
ETF versus ETN: confira as semelhanças e diferenças entre os dois produtos

Na última semana, o mercado de criptoativos recebeu a notícia de que será possível, a partir do próximo dia 22/08, negociar as chamadas Notas Negociadas em Bolsa (ETNs) de Bitcoin em uma nova localização. O produto é intitulado Bitcoin Ticker One e estará disponível apenas para investidores dos Estados Unidos.

Ao passo de que as bolsas norte-americanas ainda discutem a possibilidade de listar um ETF de Bitcoin, a ETN em questão é negociada desde 2015 – na Nasdaq Stockholm, da Suécia. Não trata-se, portanto, de um investimento novo, apesar de só agora estar acessível no mercado norte-americano.

Entretanto, o anúncio gerou certa confusão em muitos investidores, os quais não entenderam como funcionam as notas. Isso deve-se ao fato das ETNs serem muito menos conhecidas e negociadas do que o seu primo famoso (os ETFs), o que faz com que elas não sejam tão conhecidas. Pensando nisso, o Criptomoedas Fácil elaborou um guia básico com as principais diferenças entre os dois produtos, bem como as vantagens e desvantagens de cada um.

Iguais na forma, diferentes no conteúdo

Em um primeiro olhar, não existem diferenças significativas entre ETFs e ETNs. Ambos são negociados em bolsa, possuem como lastro um ativo (ouro, Bitcoin, índice de bolsa, etc) e são negociados nas principais bolsas do mundo.

Contudo, um olhar mais atento revela diferenças significativas. A principal delas está em seu funcionamento: um ETF é um fundo criado para negociar o ativo que lhe fornece lastro. Um ETF de ouro irá negociar ouro, ao passo de que um ETF de Bitcoin terá as negociações da criptomoeda como base. Esse fundo, portanto, sempre terá a posse real do ativo, o que faz o investidor ficar exposto ao risco – e aos lucros – daquele ativo sem a necessidade de mantê-lo sob sua custódia.

Portanto, investir em um ETF significa investir de forma indireta em um determinado ativo ou cesta de ativos, os quais serão geridos por um determinado gestor, eliminando o risco de custódia para o investidor.

As ETNs também eliminam o risco de custódia, porém elas não possuem o ativo que lhes dá lastro. Como o próprio nome diz (Notas Negociadas em Bolsa). Assim, a ETN caracteriza-se como uma promessa de pagamento emitida por uma instituição, geralmente um banco. Isso traz um risco adicional, pois além do risco de exposição ao ativo subjacente à ETN, o investidor também se expõe ao risco de crédito da instituição emissora da nota.

Por conseguinte, as ETNs possuem forma de operação semelhante a um fundo de investimento, onde não há a compra direta do ativo em si.

Vantagens e riscos

Caso o emissor de uma ETN receba uma nota de crédito negativa ou venha a falir, o produto poderá sofrer uma redução do seu rendimento – ou mesmo uma desvalorização – que pode não estar ligada diretamente ao ativo.

Uma outra diferença é a oferta. Existem muito mais ETFs do que ETNs no mercado. Os ETFs, dessa forma, possuem uma maior liquidez em termos de negociação do que as ETNs.

No entanto, os ETFs possuem um risco maior. Comprar um ETF é mais ou menos como comprar diretamente uma ação – ou, para ser mais claro, um grupo de ações. O índice pode performar abaixo do esperado devido ao alto volume e frequência de compras. Além disso, as altas taxas podem corroer os rendimentos do produto.

Isso não ocorre com as ETNs. Por funcionarem de forma similar a títulos públicos ou fundos de investimento, não existem despesas acumuladas com a compra e venda dos ativos. Uma ETN simplesmente paga aos seus investidores quando o fundo vence, com base no preço do ativo ou do índice, de forma similar a um título de dívida qualquer. Não há erro de rastreamento porque o próprio fundo não está ativamente rastreando algo. As forças do mercado farão com que o fundo rastreie o instrumento subjacente, mas não é o fundo que faz o rastreamento.

Qual o melhor?

Devido ao fator liquidez e ao efeito de rede (maior conhecimento por parte dos investidores), os ETFs tendem a ser um investimento mais atrativo para quem deseja se expor a um determinado ativo ou índice.

Para se ter uma ideia, uma das ETNs mais populares é a JP Morgan Alerian MLP Index ETN, que possui um volume médio de pouco mais de 1.8 milhão de ações negociadas diariamente. Ao passo de que a maioria dos ETFs possuem um volume diário de 85 milhões de ações negociadas. Uma diferença de liquidez absurda.