Início Notícias Escritório brasileiro firma parceria inédita para permitir que startups nacionais iniciem operações...

Escritório brasileiro firma parceria inédita para permitir que startups nacionais iniciem operações em Malta com foco em ICO

689
0
Escritório brasileiro firma parceria inedita para permitir que startups nacionais iniciem operações em Malta com foco em ICO

O escritório brasileiro de advogados internacionalistas, Camilo e Yulgan Sociedade de Advogados, CY²LAW, especializado em internacionalização de empresas, globalização de startups, estruturação de ICOs, Compliance Internacional, AML, KYC, KYP, Due Diligence, entre outros, articulou uma parceria inédita com o escritório de advocacia Dalli Advocates, em Malta, para facilitar a implantação de startups nacionais em toda a Europa a partir da Ilha que vem se tornando cada vez mais amigável para empresas de criptomoedas e blockchain, atraindo inclusive startups e projetos que antes buscavam um espaço inovador na Suiça.

A parceria prevê a criação de um Hub da CY²LAW em Malta, tendo a Veronique Dalli como advogada local responsável pelas operações de internacionalização envolvendo os dois países. A presença local física torna mais fácil para empresas e startups nacionais usufruírem de todo o sistema de incentivo ao setor cripto/blockchain em Malta, permitindo que elas acessem o mercado da União Europeia a partir de uma base sólida construída na ilha. O Hub em Malta facilitará a internacionalização de startups em criptomoedas e blockchain para projetos nacionais e tornará mais ágil a realização do processo de ICO na Europa tendo Malta como base.

“Esta parceria com a Veronique Dalli em Malta vai consolidar a ponte que estamos construindo entre Brasil e União Européia. Além de facilitar, aqui mesmo do Brasil, todo o processo para as empresas e startups nacionais que querem expandir para a Europa, já que contamos com um Hub local, diretamente em Malta, para operacionalização das estratégias. A Ilha vem buscando liderar o processo de adoção das criptomoedas e blockchain por meio de inumeras leis e incentivos locais que já atrairam grandes empresas do setor como a Binance e portanto é estratégica em nosso processo de estruturação internacional de startups blockchain. Iremos oferecer suporte para as empresas que chegam lá ou que desejem se instalar no pais, realizar ICO, além de outras burocracias como o processo de cidadania e vistos de residência. Esta parceria vai consolidar todo este intercâmbio que estamos construindo”, destacou Yulgan Lira, advogado especialista em internacionalização de empresas e um dos fundadores da CY²LAW.

Lira destaca ainda que esta iniciativa é unica na América Latina e vai tornar o CY²LAW um hub de informações sobre Malta e a União Europeia no Brasil, desta forma, facilitando o entendimento das empresas e startups que desejam internacionalizar suas empresas em toda a Europa tendo a ilha de Malta como base principal. Como aqui todo o processo será conduzido em português, isso vai facilitar ainda mais o intercambio, pois uma das primeiras barreiras, a língua, será superada.

“Esta é uma oportunidade única que vamos criar para toda a América Latina. As empresas brasileiras poderão identificar com mais clareza a melhor jurisdição, o melhor país para poder operar com segurança jurídica, incentivos governamentais e transparência regulatória para executar seu empreendimento e ter a certeza quanto as regras para sua operação. Isso faz ainda mais sentido quando incluímos as oportunidades da ilha de Malta, que vem conquistando cada vez mais espaço entre os grandes projetos cripto/blockchain do mundo, o que deve ser consolidado por meio da criação do Hub da CY²LAW no país,” finaliza Yulgan Lira.

As operações entre a CY²LAW e a Veronique Dalli já estão firmadas e devem iniciar ainda este mês. Yulgan está otimista e acredita que até o final de setembro já possa apresentar os primeiros cases de internacionalização envolvendo Malta.

COMPARTILHAR
Toda honra e Glória pertencem a Deus sempre. Publicitário e Produtor Cultural. Entusiasta de tudo aquilo que o Estado não consegue controlar. Abaixo aos muros, que se construa janelas para o amanhã