Confira algumas das notícias mais importantes que circularam pelos veículos nacionais e internacionais:

Câmara dos Deputados parece não priorizar as discussões sobre criptomoedas

A Comissão de Moedas Digitais, implementada pela Câmara dos Deputados para discutir a regulamentação de criptomoedas e dos programas de milhagem, informou que ainda não possui uma nova data para a reunião dos membros. A Comissão deveria ter se reunido no dia 28 de fevereiro, porém não houve quórum necessário para a deliberação das pautas. Uma segunda tentativa foi feita no dia 7 de março, mas foi novamente cancelada por falta de membros suficientes para a execução dos trabalhos. Segundo Raquel Figueiredo, secretária da Comissão, o objetivo da reunião era a votação sobre alguns requerimentos para a convocação de audiências. Caso os requerimentos fossem aprovados, as audiências seriam então marcadas. Com os últimos adiamentos, no entanto, as atividades estão sem prazo para retorno.

A União Europeia não pode proibir a mineração de Bitcoin

A atividade de mineração de criptomoedas é perfeitamente legal na Europa e está sujeita apenas às regras padrão de eletricidade, de acordo com uma comissário da União Europeia. Em uma declaração divulgada na semana passada, Mariya Gabriel, Comissária Europeia de Economia e Sociedade Digital, abordou preocupações sobre a natureza intensiva de energia da mineração de criptomoedas, ao mesmo tempo que esclarece o status regulatório da indústria. Gabriel disse: “Se a energia consumida para esta atividade é produzida de acordo com a lei, não existe uma base jurídica para proibir ou mesmo limitá-la … Como a mineração de criptomoedas não é uma atividade ilegal, a Comissão não implementou nenhum meio para rastrear até agora.”

Bélgica alerta sobre 19 corretoras de criptomoedas que apresentam sinais de fraude

Recentemente, a Autoridade de Mercados e Serviços Financeiros da Bélgica (FSMA, na sigla em inglês), advertiu sobre plataformas fraudulentas de corretoras de criptomoedas. A agência também publicou uma lista de 19 corretoras de moedas digitais que “receberam perguntas ou queixas de consumidores e estabeleceu indicações de fraude”, escreveu a agência. A agência enfatizou que esta lista não inclui todas as plataformas de criptomoedas questionáveis dentro do país, e sim apenas as que os consumidores apresentaram reclamações.

Coincheck inicia reembolso as vítimas de ataque hacker sofrido em janeiro

A Coincheck, corretora de criptomoedas japonesa, iniciou nesta segunda-feira, 12 de março, o reembolso às vítimas que perderam fundos em um ataque hacker que fez com que a plataforma tivesse cerca de US$530 bilhões roubados em janeiro deste ano. A Coincheck disse que irá reembolsar os usuários com a taxa de 88.549 ienes japoneses (ou US$0.83) por token NEM roubado – o mesmo valor conforme indicado em seu plano de compensação inicial – para as contas dos clientes que possuíam o token no final de 26 de janeiro.

Excesso de calor produzido na mineração de criptomoedas é usado na produção de tomate

Nos últimos dois anos, houve muitas discussões sobre a energia consumida pela atividade de mineração de criptomoedas. No entanto, mais recentemente, as operações de mineração têm usado métodos amigáveis com o meio ambiente e alguns deles estão canalizando o excesso de calor produzido na mineração para atingir outros objetivos. Esta semana, Kamil Brejcha, co-fundador da plataforma de negociação Nakamoto X, revelou uma imagem de tomates crescendo em uma estufa que usa excesso de calor de mineração para o sustento da planta. Saiba mais.

loading...