Início Notícias Confira a posição das exchange brasileiras sobre a adoção do SegWit

Confira a posição das exchange brasileiras sobre a adoção do SegWit

1243
0
SegWit | O que será que as exchanges brasileiras tem a dizer?

Cerca de cinco meses após a sua implementação, o Segregated Witness (SegWit), tecnologia que prometia imprimir mais velocidades as transações da rede do Bitcoin e ofertar taxas mais baratas nas transações começa a mostrar os seus primeiros resultados.

Blocos maiores, filas e menos custos de transação 

A primeira notícia positiva foi um aumento, na prática, do tamanho dos blocos minerados, devido as otimizações trazidas pela implementação do SegWit. Segundo a BitGo, os primeiros blocos de 2 megabytes foram minerados na semana passada, levando-se em conta o peso das transações dentro dos blocos.

O segundo benefício foi a drástica diminuição no número de transações pendentes na Blockchain. Segundo o primeiro gráfico dessa lista, que mostra o histórico da mempool, o número de transações pendentes passou de mais de 170 mil no início de janeiro, para menos de 15 mil atualmente. Isso representa mais de 90% de transações pendentes que já foram executadas, uma queda bastante significativa.

Por fim, menos transações para serem processadas significa uma redução também nas taxas de processamento da rede. Segundo o Estimated Fee, site que calcula as taxas em vigor na Blockchain, os valores que chegaram perto de 1000 satoshis por byte para processar uma transação em velocidade média (menos de 6 blocos) hoje estão por volta de 200 satoshis por byte, uma redução de 80% nos valores de transações.

E essas reduções foram observadas apesar da porcentagem de transações realizadas via SegWit, embora esteja sendo adotado de forma crescente, ainda ser bastante pequena – menos de 20% das transações são feitas utilizando a melhoria.

Adoção do SegWit nas exchanges e empresas

Mas se o SegWit traz tantas melhorias para os usuários do Bitcoin, por que ainda existem tão poucas transações que adotam a tecnologia?

Isso ocorre, em parte, porque para que uma transação SegWit seja realizada é preciso que as duas carteiras (seja de pessoas ou de empresas) envolvidas possuam a tecnologia instalada e pronta para uso.

E, no momento, poucas exchanges ainda possuem implementação do SegWit. Nem mesmo a carteira oficial da rede (a Bitcoin Core) ainda implementou completamente.

No site do Bitcoin Core existe uma lista de quais empresas já se comprometeram a adotar o SegWit em suas transações e qual o nível de adoção de cada uma. Nela podemos notar a presença de empresas como a Bitstamp e a Bitfinex, grandes players do mercado responsáveis por boa parte das transações, o que por si só contribui para que os benefícios do SegWit apareçam mesmo com uma adoção ainda reduzida.

E como está o Brasil nessa fase?

Posicionamento das exchanges brasileiras

Na lista do Bitcoin Core podemos notar que apenas uma exchange está presente: a Walltime, que no site consta como pronta para adotar a implementação em suas transações.

Dessa forma, o Criptomoedas Fácil resolveu consultar as principais exchanges do mercado brasileiro e procurar saber delas quais os passos que estão tomando rumo a adoção do SegWit e, com isso, trazer para os nossos leitores atualizações que irão ajudá-los a escolher as empresas que podem fornecer as melhores taxas.

O levantamento consultou sete empresas: Foxbit, Mercado Bitcoin, Bitcointoyou, Walltime, Negociecoins, Braziliex e BitcoinTrade. Todas foram contatadas e solicitadas a responder sobre se já adotariam ou não o SegWit.

Confira abaixo o status de adoção do SegWit e o posicionamento de cada uma delas (em itálico).

Exchanges que já começaram a adotar o SegWit

Foxbit

A Foxbit respondeu que já adota o SegWit nas retiradas bitcoin, mas que ainda não temos prazos para implementar nos depósitos. Sobre o efeito na redução das taxas, a empresa avalia como positivo:

 “A redução da taxa foi muito boa, além disso, nós estamos fazendo transações em lote. Represamos todos os saques bitcoin e executamos com fee maxima a cada bloco minerado, o que dá aproximadamente 10 minutos. Com isso, a redução de taxa foi gigante, chegando a 0,00013btc. Para se ter uma ideia, a nossa taxa prioritária é 5 vezes menor que a taxa dos concorrentes. Porém, a empresa ressaltou a pouca adoção por parte dos próprios usuários: a adoção ainda é muito baixa, menos de 10% das retiradas são para endereços SegWit.”

Exchanges que tem planos de adotar o SegWit

Walltime

Embora a Walltime seja a única exchange brasileira a constar na lista do Bitcoin Core como “pronta” para a adoção do SegWit, a empresa ainda não fez a implementação. Segundo o setor técnico, nosso plano original era aguardar que Segwit seja usada por padrão no client bitcoin-core – porém dado o valor atual das taxas e a demora prevista para isso  (previsão deles é Maio/2018 (sic)) estamos avaliando alternativas de acelerar. A empresa se mostrou otimista quanto a redução de custos que o SegWit pode trazer e também em relação ao uso por parte dos clientes:

“Esperamos uma redução significativa nos gastos com as transações. Trata-se da feature mais pedida por nossos usuários atualmente. Estimamos que o uso vai ser alto.”

Bitcointoyou

A Bitcointoyou não deu grandes detalhes, mas também afirmou que está comprometida em habilitar o SegWit em sua plataforma.

Já estamos analisando e estudando a implementação do SegWit em nossa plataforma, estamos trabalhando para que possamos concluir este processo o mais breve possível. Acreditamos que em até 30 dias iremos conseguir realizar essa atualização”

Exchanges que ainda não adotaram o SegWit e não tem prazo para implementar

Negociecoins afirmou que tem planos de habilitar o SegWit, mas que ainda não tem um prazo para a implementação e, portanto, não pode avaliar o impacto nas transações.

Braziliex informou que ainda não fez a implementação e que não tem planos e prazos no momento.

Já a BitcoinTrade e o Mercado Bitcoin não retornaram nosso contato.

Balanço das respostas

Como podemos notar pelo levantamento das respostas, a taxa de adoção do SegWit entre as exchanges brasileiras é extremamente baixa. Das sete avaliadas, apenas uma disponibiliza a opção de retiradas em SegWit, embora ainda não disponibilize a opção de depósitos.

Mesmo se considerarmos as empresas que já estão realizando movimentações para adaptar os seus sistemas, temos menos da metade das empresas procuradas com planos concretos de implementação, o que é muito pouco para um mercado em expansão como o caso do Brasil.

A adoção do SegWit é um passo muito importante para que haja uma maior competição por taxas e estruturas de transação mais eficientes e baratas, o que somente trará benefícios não apenas para os consumidores, mas também para as empresas, que terão a oportunidade de prestar um serviço mais eficiente e de melhor qualidade – e, assim, evitar as altas reclamações dos usuários, que chegaram a subir mais de 10 vezes em 2017.

Conclusão

Esse levantamento teve como objetivo fazer um quadro mais detalhado sobre a posição de cada uma das principais empresas de Bitcoin do país sobre o SegWit. Cada uma delas teve um espaço igual para poder dar o seu posicionamento.

Futuramente, iremos atualizar essa matéria conforme cada empresa traga novidades sobre a adoção do SegWit em sua plataforma.

Siga o Criptomoedas Fácil no InstagramCLIQUE AQUI !!!