Início Notícias Será o chip quântico o fim da criptografia?

Será o chip quântico o fim da criptografia?

1407
6

Especulações a parte, tudo indica que um futuro não tão distante se aproxima. A empresa, líder em processadores no mundo, anunciou, o protótipo de seu chip quântico de 49 qubits, o qubit é uma simplificação do bit quântico. Na computação atual, temos como base o bit “normal”, que, no modelo simbólico criado para facilitar a nossa compreensão, representa o valor 0 ou 1. Já um qubit pode assumir 0, 1 ou uma superposição de ambos os valores. Esta lógica deve permitir que os computadores quânticos solucionem problemas em áreas como inteligência artificial e meteorologia que sejam complexas o suficiente para exigir anos para serem resolvidos pela computação tradicional.

Brian Krzanich, CEO da Intel, que apresentou o chip, embora os detalhes técnicos não tenham sido revelados, mas o executivo apontou que o “Tangle Lake”, como o dispositivo foi chamado, é um processador de 49 bits. Este é um detalhe importante, porque há pouco tempo que a Intel apresentou um chip de 17 qubits. Além disso, o projeto alimenta a rivalidade com a IBM que também apresentou seu processador quântico.

A empresa não deu nenhum detalhe sobre como e principalmente quando os chips quânticos estariam realmente em operação e ainda mais quando a empresa pretende disponibilizá-los para os consumidores em geral. Muitos criptógrafos acreditam que um processamento quântico poderia quebrar o hash (que existe hoje) da função criptográfica do Bitcoin e de outras moedas do mercado, no entanto, já há diversas pesquisas e mesmo projetos que já são prova quântica e trabalham com o desenvolvimento de diversas soluções como a árvores de Merkle, por exemplo, que está em uma das propostas de Contratos Inteligentes na rede Bitcoin.

Independe do que aconteça, haverá necessidade de adaptação a essa nova realidade, tanto do ponto de vista de segurança das transações quanto de wallets, que com um poder computacional desses seriam mais vulneráveis, mas essa preocupação não é exclusiva do Bitcoin nem do mercado de criptomoedas, a área de TI como um todo, administradores de sistemas, gerentes de segurança e empresas de consultoria vão precisar se adiantar e aprender as novas regras do jogo de manter os sistemas seguros nos próximos anos, o que pode ser a diferença crítica entre um sistema protegido ou vulnerável.

Então fique de olho nas notícias, se informe em fontes confiáveis, pesquise sobre o assunto e invista com responsabilidade.

COMPARTILHAR
Joinvillense, nascido em 92, fundador do grupo de Facebook Bitcoin Brasil, apaixonado por tecnologia opensource, criptomoedas e futurologista, sempre imaginando o que pode acontecer. Louco por cinema e tv, quer me ver feliz, me dê uma câmera e algo pra fotografar/filmar.
Siga o Criptomoedas Fácil no InstagramCLIQUE AQUI !!!