Início Notícias China aperta o cerco e cria uma maneira das pessoas relatarem vendas...

China aperta o cerco e cria uma maneira das pessoas relatarem vendas de tokens ilegais

381
2
China aperta o cerco e cria uma maneira das pessoas relatarem vendas de tokens ilegais

Segundo o artigo publicado pela agência de notícias Coindesk, uma associação chinesa de autorregulamentação está trabalhando para ajudar as agências governamentais a reprimir as ofertas iniciais de moedas (ICOs, na sigla em inglês) ilegais.

A Associação Nacional de Finanças pela Internet da China (NIFA, na sigla em inglês), uma organização de autorregulamentação fundada pelo Banco Popular da China (PBoC), adicionou uma categoria de “vendas de tokens” à sua plataforma, que permitirá ao público reportar atividades financeiras potencialmente ilegais.

A NIFA atualmente opera um portal on-line onde os indivíduos podem registrar denúncias sobre atividades financeiras suspeitas. As áreas que estiveram no radar da associação até o momento incluem empréstimos peer-to-peer, seguro de internet, financiamento de capital e pagamentos pela internet.

“Esta plataforma é responsável por coletar relatórios e reclamações sobre as atividades financeiras da Internet e transferi-las para agências governamentais relevantes, que tomarão ações adicionais de acordo com os regulamentos existentes”, afirma a NIFA em seu site.

Agora, a associação adicionou “token sales” (vendas de tokens) como uma opção de relatório, segundo a qual os residentes chineses podem registrar reclamações sobre atividades definidas como ilegais pelo PBoC no ano passado em relação às ICOs.

As atividades listadas no site da NIFA incluem a operação de uma exchange por negociação fiat-to-crypto e crypto-to-crypto, direta ou indiretamente, fornecendo serviços de registro, negociação, compensação e liquidação para vendas de tokens e oferecendo serviços de seguro para negócios relacionados a criptomoedas.

A notícia vem em meio aos esforços contínuos das agências reguladoras chinesas para reprimir o comércio de criptomoedas e as ICOs.

Na semana passada, cinco reguladores financeiros de alto nível na China divulgaram um comunicado alertando o público contra ICOs estrangeiras que solicitam investimento de investidores domésticos usando mecanismos emergentes como “ofertas iniciais de exchange” e “ofertas iniciais de fork”.

Gigantes chineses da internet, como Baidu, Alibaba e Tencent, também estão cooperando com os reguladores para bloquear as criptomoedas no mercado de venda por meio de pedidos de pagamento e censuram fóruns online que distribuem informações relevantes.

COMPARTILHAR
Publicitária, planejadora estratégica e entusiasta do universo cripto. Confia nas mudanças que a tecnologia irá trazer para a sociedade.