Início Coluna CriptoFuturo Cenários de futuro: Ataque nuclear da Coreia do Norte ao Japão

Cenários de futuro: Ataque nuclear da Coreia do Norte ao Japão

4
3941
bitcoin

Que um certo ditador gordinho anda ameaçando jogar bombas nucleares pra vários lados, não deve ser novidade pra nenhum de vocês. Os alvos mais óbvios parecem ser a Coréia do Sul, com quem eles sempre estiveram em guerra, e os EUA, com o Presidente Donald Trump entrando em um embate direto e trocando ameaças com Pyongyang.

O fato que o Japão tem se tornado uma potência das criptomoedas também é indiscutível. Já em setembro, o Japão detinha 50.75% do mercado mundial de Bitcoin, devido ao êxodo dos traders chineses, causado pela repressão do governo da China a exchanges que se envolveram em ICO’s. Com um volume tão significativo, é de se considerar a importância que esse mercado em especifico tem no peso da moeda e as possíveis consequências de qualquer problema ocorrendo lá.

Algumas pessoas não entendem porque diabos mr. Kim iria querer bombardear o Japão e se surpreendem quando ele o inclui nas ameaças. Na real é bem simples. O Japão é parceiro comercial dos EUA, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, mantendo um volume de compra e venda muito grande. Além disso, o segundo maior parceiro do Japão é a Coreia do Sul, inimiga mortal da Coreia do Norte. Empresas japonesas investem massivamente na Coreia do Sul, o público japonês consome música e programas de TV coreanos avidamente e além disso mantém uma relação diplomática de parceria na pressão exercida sobre a China pra aumentar as sanções ao regime ditatorial da família de Kim.

O fato dos EUA manterem bases militares no Japão também é visto como uma ameaça. Contratos de transferência de tecnologia militar entre EUA e Japão fazem dos dois parceiros estratégicos. Isso pinta um alvo no Japão que lembra bem a bandeira deles….

Mas o que pode acontecer?

Algumas suposições:

Em um cenário onde o número de ameaças aumente, antes do ataque, o Yen vai começar a despencar e muitos que têm recursos no Japão se sentirão tentados a comprar Bitcoin e sair do país. Isso aumentaria o preço do Bitcoin e faria que muitos buscassem sair do país, e dentro de um certo tempo também teríamos pessoas liquidando seus Bitcoin em outros países pra poder buscar segurança. Talvez não num volume tão significativo, talvez sim….

Num outro cenário onde o ataque seja simplesmente sem aviso, os Bitcoin cujos donos morrerem sem deixar registros de senha da sua carteira em algum lugar recuperável simplesmente sumiriam, irrecuperáveis, gerando uma deflação em massa disparando o preço.

Não importa muito o que aconteça, é provável que qualquer cenário de catástrofe por lá seja o suficiente pra causar uma subida de preço e uma mudança fundamental inclusive no cenário de exchanges, mineração, o potencial de que a rede se sobrecarregue nas primeiras semanas após o acontecido. Não é possível prever preços específicos, porque é uma situação que pode se arrastar por alguns anos ou acontecer amanhã. São realidades difíceis de imaginar e não desejamos ver nenhuma tragédia do tipo, mas é sempre interessante estarmos preparados pra entender as possíveis implicações de um fato desses em um hub tão importante de negociação da criptomoeda mais importante do mercado.

Faça planos de contingência e acompanhe as notícias do mundo, porque ninguém é uma ilha, tudo afeta tudo, qualquer cenário geopolítico dessa magnitude tem impacto gigantesco nas suas finanças.

COMPARTILHAR
Joinvillense, nascido em 92, fundador do grupo de Facebook Bitcoin Brasil, apaixonado por tecnologia opensource, criptomoedas e futurologista, sempre imaginando o que pode acontecer. Louco por cinema e tv, quer me ver feliz, me dê uma câmera e algo pra fotografar/filmar.
Siga o Criptomoedas Fácil no InstagramCLIQUE AQUI !!!