Início Notícias BitGo adiciona 57 tokens da rede Ethereum em sua plataforma de custódia

BitGo adiciona 57 tokens da rede Ethereum em sua plataforma de custódia

521
0
BitGo adiciona 57 tokens da rede Ethereum em sua plataforma de custódia

O grande universo das criptomoedas está tornando-se um pouco mais acessível aos investidores institucionais.

A startup de segurança BitGo disse à agência de notícias CoinDesk nesta terça-feira, 10 de julho, que expandirá seu pacote de produtos e serviços de custódia para suportar 57 novos ativos digitais, um movimento impulsionado pela demanda por serviços que protegem chaves privadas – as cadeias alfanuméricas que funcionam como senhas para cripto-ativos – e que, uma vez perdidos, se vão para sempre.

O movimento é revelador para o setor de segurança em blockchain, mostrando que este é um cenário competitivo em constante mudança.

Fundada em 2013, a BitGo tornou-se líder no setor de gerenciamento de carteiras em exchanges de criptomoedas, mas, até o momento, seu serviço tem sido limitado a protocolos maiores como Bitcoin e Ethereum (de fato, a falta total de opções levou até mesmo custodiantes tradicionais como o BNY Mellon, JPMorgan e Northern Trust a considerar o negócio, disseram fontes à Bloomberg em junho deste ano).

A startup dificilmente é a única empresa emergente que está prestes a estrear os serviços de custódia institucional – a exchange Coinbase, a startup suíça Smart Valor e o banco japonês Nomura são apenas três das empresas que lançam soluções licenciadas de armazenamento de criptomoedas.

No entanto, a adição de tokens da rede Ethereum poderia ser uma vantagem fundamental em um primeiro movimento. De acordo com o CTO da BitGo, Benedict Chan, tem ocorrido um aumento na demanda por soluções de custódia para cripto-ativos alternativos, como o tipo que está sendo adicionado agora.

Benedict Chan, CTO da BitGo, disse à CoinDesk:

“Essas instituições geralmente não querem autogerenciar suas moedas. Elas estão procurando alguém que possa suportar múltiplas moedas.”

Timothy Furey, CFA e chefe do setor bancário do Satis Group, uma empresa focada em assessorar instituições em investimentos de ICOs, descreveu essa tendência da indústria blockchain como uma “corrida armamentista” para oferecer soluções de custódia em nível institucional para um espectro de ativos.

É por isso que o vice-presidente de marketing de produto, Robin Verderosa, disse que a BitGo está agora procurando obter uma licença da BitLicense em Nova York e uma licença de custódia qualificada na Dakota do Sul. A BitGo pretende oferecer ainda mais serviços de custódia, adicionando mais de 100 criptomoedas até o final de 2018.

Verderosa disse que cortejar investidores institucionais tornou-se prioridade da BitGo, acrescentando:

“O que aprendemos é que eles estão interessados em investir em uma cesta de moedas e tokens que ajudam a proteger o mercado e proporcionam melhores retornos.”

No entanto, Igualmente notável, é como a BitGo está tomando medidas para garantir a qualidade de seu serviço, dados os riscos inerentes ao lidar com criptomoedas menores.

Quando a BitGo estréia o suporte a dezenas de criptomoedas, ela incluirá a oferecido pelo aplicativo de mensagens Kik, vários tokens nativos de exchanges de criptomoedas descentralizadas e a criptomoeda de identidade da blockchain Civic, uma startup que a BitGo começou a experimentar em 2017.

É uma realidade que teve um impacto operacional, pois o gerente de produtos Isaac Eleftheriadis agora lidera uma equipe na BitGo de 11 pessoas, focada no aumento de criptomoedas e tokens.

De acordo com Eleftheriadis, todos os tokens adicionados neste primeiro lote foram explicitamente solicitados pelos clientes institucionais da BitGo. Uma vez que há uma demanda óbvia por opções de custódia, a equipe pesquisa estes token para garantir que seus emissores e equipe fundadora sejam confiáveis.

Muito tempo depois de adicionar recursos básicos de armazenamento, o suporte a tokens de criptomoedas requer vigilância constante.

“Um desafio adicional para os custodiantes que estão chegando ao mercado é descobrir como eles vão lidar com questões como airdrops, hard forks, etc, e quais eles vão apoiar. Isso apresenta desafios técnicos reais, além dos regulatórios e fiscais”, acrescentou Arianna Simpson, ex-funcionária da BitGo e atual fundadora do fundo de investimento de criptomoedas Autonomous Partners.

Falando sobre este ponto, Eleftheriadis disse à CoinDesk que sua equipe monitora ativamente se os emissores simbólicos estão planejando mudanças no código, além de avaliações de segurança trimestrais.

Alguns emissores de tokens também tornaram-se clientes BitGo.

“Houve casos em que os clientes nos pediram para apoiar seu token ERC-20”, disse Eleftheriadis. “Eles não querem fazer a ICO ainda, até que todos os seus tokens possam ser mantidos pela BitGo.”

COMPARTILHAR
Publicitária, planejadora estratégica e entusiasta do universo cripto. Confia nas mudanças que a tecnologia irá trazer para a sociedade.
Siga o Criptomoedas Fácil no InstagramCLIQUE AQUI !!!