Início Coluna Barão do Bitcoin Bitcoin é investimento ou especulação?

Bitcoin é investimento ou especulação?

443
0
Bitcoin é investimento ou especulação?

Em junho deste ano, escrevi um artigo cujo título dizia que “em breve, uma exchange brasileira de Bitcoin seria hackeada”. Não demorou muito tempo para que a minha profecia barata (comparável a dizer que em algum dia do futuro irá chover) se tornasse realidade.

O vazamento de dados pessoais, incluindo nome, telefone, e-mail e saldos em Bitcoin, de mais de 260 mil clientes da Atlas Project, que supostamente é uma plataforma de investimentos com Bitcoin, pode não ter causado prejuízo financeiro imediato a ninguém, pois o hacker não conseguiu acessar os Bitcoins. Mas é inegável que houve um prejuízo intangível para várias pessoas que apareceram na lista com seus nomes associados a quantias em Bitcoin cujo valores chegam a ultrapassar os milhões de reais.

Mas este post não é para falar especificamente sobre o episódio do vazamento de dados e, sim, para tentar explicar por que eu não acredito que o Bitcoin possa ser encarado como um investimento, como pensam muitas, ou talvez todas, as pessoas que estavam associadas ao suposto produto de investimento oferecido pela Atlas.

Você deve estar se perguntando, mas eu vi o Bitcoin valorizar tanto ao longo dos últimos anos, como é que ele não pode ser um investimento?

Primeiramente, é importante esclarecer que o conceito de investimento é algo amplo e passível de debate. O site investopedia, por exemplo, o define como “um ativo ou bem adquirido com o objetivo de gerar renda ou valorização. Em um sentido econômico, um investimento é a compra de bens que não são consumidos hoje, mas são usados ​​no futuro para criar riqueza. Em finanças, um investimento é um ativo monetário comprado com a ideia de que o ativo fornecerá renda no futuro ou será vendido mais tarde a um preço mais alto para obter lucro”.

Dito isso, vale a pena entender a diferença entre investimento e especulação. Para isso, recorremos mais uma vez à investopedia para conhecer e temos o seguinte:

“A principal diferença entre especular e investir é a quantidade de risco assumida no negócio. Normalmente, os negócios de alto risco que quase se assemelham ao jogo [loteria] se enquadram como especulação, ao passo que investimentos de baixo risco baseados em fundamentos e análises caem na categoria de investimento.

Os investidores procuram gerar um retorno satisfatório sobre seu capital assumindo um risco médio ou abaixo da média. Por outro lado, os especuladores estão procurando fazer retornos anormalmente altos de apostas que podem ir para um lado ou para o outro. Deve-se notar que a especulação não é exatamente como o jogo, porque os especuladores tentam tomar uma decisão instruída sobre a direção do negócio, mas o risco inerente ao comércio tende a ser significativamente acima da média.

Negociação especulativa

Como um exemplo de um negócio especulativo, considere alguém que compre ações de uma empresa iniciante no mercado de mineração de ouro. Em teoria, existe uma chance igual no curto prazo da ação valorizar devido a uma nova descoberta de mina de ouro ou desvalorizar caso a empresa não obtenha sucesso na exploração. Sem conhecer a verdadeira realidade da empresa, alguns investidores tenderiam a fugir de um negócio tão arriscado por se tratar de uma companhia jovem, sem histórico e com futuro incerto, mas alguns especuladores poderiam acreditar e arriscar que a mineradora de ouro encontraria uma reserva do metal precioso e poderiam comprar suas ações baseando-se apenas em seus palpites, sem nenhum fundamento técnico. Esse tipo de risco seria uma especulação.

Investindo

Como exemplo de investimento, considere uma grande empresa multinacional estável, com projeção transparente de receitas, custos e investimentos. A empresa pode pagar um dividendo consistente que aumenta anualmente, e seu risco de negócio é baixo, pois o investidor é capaz de calcular o risco de forma segura. Um investidor pode optar por investir nesta empresa a longo prazo para obter um retorno satisfatório do seu capital, assumindo um risco relativamente baixo. Além disso, o investidor pode adicionar várias empresas semelhantes em diferentes setores à sua carteira para diversificar e reduzir ainda mais o risco.”

Atualmente, existe um forte movimento especulativo em cima do Bitcoin (e também sobre centenas de ativos digitais inúteis), mas, na minha opinião, o propósito único e exclusivo do Bitcoin é o de servir como uma ferramenta de transferência de valor pela internet. Assim como um encanamento serve para escoar água de um lugar para o outro, o Bitcoin serve para enviar dinheiro de um lado para o outro. É para isso que ele foi criado. Como bem definiu o seu criador, Satoshi Nakamoto, trata-se de um “sistema de dinheiro eletrônico”.

Quem compra Bitcoin hoje com a expectativa de vendê-lo no futuro a um preço maior, nada mais é do que um especulador devido ao altíssimo risco envolvido na operação, inclusive o risco de segurança da custódia do ativo.

Resumindo, investimento é algo que gera valor ou rendimento. O Bitcoin não gera rendimento se estiver parado em sua carteira digital. Se você comprar 1 Bitcoin hoje, ele sempre irá valer 1 Bitcoin. Ele não é algo que você consiga extrair rentabilidade, como é o caso, por exemplo, da caderneta de poupança e outros investimentos que existem no mercado financeiro, que lhe pagam rentabilidade, às vezes fixa, às vezes variável. A única forma de você extrair rentabilidade do Bitcoin é entregando o ativo para um terceiro, como a Atlas Project, por exemplo, que irá fazer arbitragem, trade ou seja lá o que for para extrair alguma rentabilidade e entregá-la a você. Mas o risco dessa operação é tão gigantesco porque envolve a custódia do seu ativo por um terceiro, além de todo risco de mercado, que não consigo conceber isso como um investimento. Para mim, continua sendo um instrumento especulativo.

Muito me espanta ver várias pessoas na comunidade brasileira e também fora do país tentarem vender o Bitcoin como um investimento. Geralmente, os discursos associados a essa narrativa apoiam-se em ideologias econômicas libertárias e apontam as moedas estatais como o motivo principal da elevação do Bitcoin ao status de investimento ou ativo de reserva de valor.

Sinto muito amigos, o Bitcoin não deve ser encarado como um investimento. Apesar do ciclo especulativo que ele está inserido atualmente, ele é apenas uma tecnologia de transferência de valores por meio da internet.

loading...
COMPARTILHAR
Fotógrafo que conheceu a tecnologia do Bitcoin em 2011. Desde então, atua na compra e venda de bitcoins no mercado peer-to-peer (P2P) de larga escala. Ele também trabalha com mineração de Bitcoins e possui uma fazenda própria de mineração na China.