Início Notícias Banco Central da Rússia acredita que a blockchain ainda precisa amadurecer

Banco Central da Rússia acredita que a blockchain ainda precisa amadurecer

289
0
Banco Central da Rússia acredita que a blockchain ainda precisa amadurecer

O Banco Central da Rússia não está seguro de que a tecnologia blockchain pode realmente impactar os processos tradicionais e se inserida no cotidiano das pessoas. A posição do banco veio a público por meio das declarações de Olga Skorobogatova, vice-governadora da instituição, que argumentou que ainda é preciso tempo para entender os benefícios da tecnologia blockchain.

Segundo artigo publicado pela Coindesk, agência de notícias norte-americana, Skorobogatova concedeu a declaração durante uma discussão na conferência anual SPIEF, em São Petersburgo, e disse ainda que a blockchain exige melhorias em termos de segurança e escalabilidade, acrescentando que ainda não está “madura”.

“No mundo, ainda não há uma grande solução industrial de livros distribuídos, exceto por bitcoins. Isso não se deve principalmente ao fato da tecnologia não estar madura o suficiente.”

Skorobogatova acrescentou que a falta de adoção em grande escala é, em parte, devido ao fato de que os executivos das empresas ainda não entendem o valor da tecnologia. Ainda assim, há duas áreas diferentes nas quais a tecnologia que pode ser benéfica, argumentou ela, sendo que uma delas engloba operações online, como cartas de crédito eletrônicas, e a outra envolve trabalhando offline e com contratos inteligentes – Ethereum e Hyperledger foram citados neste caso.

Mas a tecnologia pela tecnologia é “inútil” prevendo que, este ano, o mundo chegará a um entendimento maior sobre blockchain e compreenderá melhor seus casos de uso potenciais e também sua limitações em aplicações de escala industrial. Apesar dos comentários de Skorobogatova, o Banco da Rússia possui um software masterchain baseado em Ethereum para comunicar mensagens financeiras em toda a União Econômica Eurasiática.

COMPARTILHAR
Toda honra e Glória pertencem a Deus sempre. Publicitário e Produtor Cultural. Entusiasta de tudo aquilo que o Estado não consegue controlar. Abaixo aos muros, que se construa janelas para o amanhã