Início Notícias Banco Central da Polônia admite financiar propagandas contra o Bitcoin

Banco Central da Polônia admite financiar propagandas contra o Bitcoin

677
0

Não é nenhuma novidade que os bancos centrais ao redor do mundo mostram-se receosos e, muitas vezes, hostis em relação às criptomoedas. Posicionamentos como das entidades financeiras europeia e brasileira demonstram que tal posicionamento continua forte entre as instituições. No entanto, mesmos os bancos menos favoráveis às moedas digitais ainda não chegaram à postura extrema do Banco Central da Polônia, que recentemente admitiu ter patrocinado vídeos que falavam mal do Bitcoin e de outras criptomoedas.

Canal “chapa-branca”

De acordo com a Zero Hedge, agência de notícias sobre o universo financeiro, o Banco Central polonês reconheceu ter patrocinado o youtuber Marcin Dubiel como parte de uma campanha de difamação do Bitcoin e das criptomoedas em geral, feita através do vídeo STRACI?EM WSZYSTKIE PIENI?DZE?! (Perdi todo o meu dinheiro?!, tradução em português).

Embora esteja disponível apenas em polonês, é possível entender o contexto. No vídeo, um jovem se gaba de ter investido em Bitcoin e leva uma moça para jantar. Ao pagar a conta, ele diz que o pagamento será feito com a criptomoeda, mas é avisado de que a cotação despencou e ele acaba não conseguindo pagar. A moça, irritada, paga em zloty (moeda oficial da Polônia) e critica o rapaz por confiar em moedas digitais.

A notícia também foi confirmada pelo site de notícias local Money.pl. Ele afirma que a campanha nas redes sociais foi realizada pelo Banco Central da Polônia, em conjunto com a rede de parceiros polonesa Gamellon e as divisões irlandesas do Google e do Facebook. O valor destinado ao patrocínio do canal foi de cerca de US$27 mil.

O vídeo de Dubiel não menciona o patrocínio recebido por ele, obviamente. Desde 8 de dezembro de 2017, a história criada por Dubiel “sobre um jovem que investe todo seu dinheiro em bitcoins apenas para perder tudo” acumulou mais de 500 mil visualizações.

Campanha em massa

O canal de Dubiel aparentemente não foi o único beneficiado com a campanha. O Money.pl relata que a campanha do Banco Central polonês também teve vídeos publicados em um canal do Youtube denominado Planeta Faktów (Planeta dos Fatos, tradução em português), que possui mais de 1,5 milhões de assinantes. O canal de Dubiel tem mais de 900 mil assinantes.

Essa é a primeira grande notícia envolvendo o país do leste europeu desde fevereiro de 2017, quando o país reconheceu oficialmente a negociação e a mineração de criptomoedas, o que causa confusão, levando em conta a campanha promovida pelo órgão regulador financeiro do país. Além disso, segundo a Zero Hedge, a Polônia afirmou ter interesse em entrar nas negociações do Petro, moeda digital da Venezuela, oferecendo alimentos e medicamentos em troca da moeda digital emitida pelo país sul-americano.