Início Ethereum A crescente “crise do gás” do Ethereum (e o que está sendo...

A crescente “crise do gás” do Ethereum (e o que está sendo feito para solucioná-la)

900
0

O Ethereum está no meio de uma “crise do gás”. Pelo menos de acordo com Taylor Monahan, CEO da MyCrypto.

Monahan foi ao Twitter esta semana para lembrar os usuários das melhores práticas para estabelecer e mudar taxas de transação ao usar a segunda maior blockchain do mundo. As palavras de preocupação são garantidas – por causa da mudança de condições na rede, existe a possibilidade de usuários do software de carteira da startup estarem pagando demais pelas transações.

No total, os usuários do Ethereum gastaram 5.862 ether, ou US$ 2,7 milhões, para enviar transações apenas segunda-feira, 02 de julho – uma alta histórica, de acordo com os dados de rede disponíveis. O culpado? Uma única bolsa, a FCoin, com sede na China, parece estar congestionando a blockchain do Ethereum com um modelo de negócios controverso.

“É bom lembrar do que gás realmente é, como funciona e por que é necessário – e por que essa situação é desnecessária”, tuitou Monahan.

Uma medida do esforço computacional, o preço do gás (efetivamente o que os usuários pagam para usar a rede) flutua de acordo com a demanda, assim como ocorre com as taxas de transação do Bitcoin. E essa demanda parece estar aumentando para níveis sem precedentes. Em dezembro, um popular jogo de criação de gatos digitais, o CryptoKitties, chegou a derrubar a rede. Mas, mesmo naquela época de sobrecarga, as despesas acumuladas com gás naquela época foram menos da metade das novas máximas desta semana.

“Os preços do gás não parecem tão agora”, alertou o Eth Gas Station, principal fonte de métricas de gás no ether, em seu perfil no Twitter, na segunda-feira. O portal afirmou que os usuários chegam a  pagar US$3,20 para que uma transação seja aceita, ou esperar por períodos de 30 minutos para ser aceito em um bloco.

A situação já foi corrigida – as taxas de transação, embora ainda altas, se estabilizaram em relação aos picos de segunda-feira – mas, ainda assim, os desenvolvedores estão explorando maneiras de garantir que a volatilidade seja melhorada.

“O problema é o que está fazendo com que essas taxas aumentem e como isso afeta a usabilidade do blockchain em um sentido mais amplo”, disse Monahan à agência de notícias CoinDesk.

E o que acontece porque, embora os custos de transação apontem para um problema de escala mais amplo (conforme a rede chega perto de atingir seus limites, as taxas de transação aumentam), medidas podem ser tomadas para melhorar os custos antes que o Ethereum se torne uma arquitetura mais escalável.

Por exemplo, Monahan disse que é devido a ferramentas imperfeitas, como algoritmos de precificação de gás que ocasionalmente dão errado, e erros humanos em nome dos usuários, que respondem por grande parte do aumento de preço.

Monahan resumiu:

“As taxas são muito altas devido a alguns eventos nos últimos dias que aumentaram a demanda [e] algumas partes que têm fatores externos que fazem com que o pagamento de taxas de transação exorbitantes valha a pena.”

Ataques de gás

Um desses atores, segundo Monahan, é a FCoin.

Uma exchange sediada na China, a FCoin já chamou a atenção devido ao seu novo modelo de receita, que envolve a distribuição de tokens gratuitos para os usuários que negociam na plataforma. Conforme detalhado pela CoinDesk, o modelo provou ser popular, tendo levado a bolsa a 24 altas de US$5,6 bilhões no mês passado, um número que superou amplamente as principais bolsas listadas no CoinMarketCap, combinadas.

Por trás do congestionamento do Ethereum, no entanto, o FCoin está executando uma competição diária, em que os usuários votam em uma listagem de tokens depositando esse token – repetidamente – na plataforma da exchange.

Como resultado, essa prática estimulou os desenvolvedores a enviarem airdrops para uma infinidade de contas, provocando centenas de milhares de transações, um gesto que para muitos na comunidade Ethereum não foi bem recebido.

“São US$240.000 queimados em gás até agora”, reclamou o fundador do Fresco, Roy Huang, na segunda-feira, “Se você deseja essa loucura, então está trabalhando com blockchain pelos motivos errados”.

Em uma conversa com o portal CoinDesk, Monahan ecoou o sentimento de Huang, chamando a prática de “mecanismo de voto absolutamente desprezível”, que estava incentivando os ataques da Sybil, um tipo de ataque de spam que inunda uma rede com identidades falsas.

O resultado é o que o pesquisador especialista em ether Philippe Castonguay chama de “guerra de preços do gás”, na qual os usuários lutam pela inclusão na rede oferecendo preços mais altos.

O impacto disso é numeroso: as taxas de transação aumentam, as transações com taxas menores não são aprovadas e outras, por frustração ou acidente, enviam taxas de transação extremamente altas – o que eleva o preço para todos os demais.

“Isso faz com que usuários avançados consigam cooperar com os mineradores para ignorar a taxa de transação”, disse Monahan.

Correções na rede

Mas, independentemente das ações da FCoin, os desenvolvedores enfatizam que há maneiras de melhorar a situação para todos os usuários, independentemente dessa prática ser condenada ou não.

“Sobre as altas taxas de gás recentes, tenho que discordar das críticas sobre ‘transações de spam'”, tuitou Georgios Konstantopoulos, da Loom Network.

“Estamos em uma rede que não necessita de permissões. Não há transações de spam. Se alguém pagar a taxa pedida, a [transação] não é spam.”

Como tal, há trabalho a ser feito para melhorar a situação, tanto a curto como a longo prazo.

Por exemplo, Griff Green escreveu uma proposta baseada na pesquisa de Alexey Akhunov, na qual o Ethereum adota uma técnica inspirada no Bitcoin, denominada estratégia “a criança paga aos pais”.

Em vez de as transações da mesma conta serem processadas separadamente, os mineradores podem classificar as transações de acordo com a conta e reivindicar uma recompensa mais alta processando-as simultaneamente, o que pode ser útil para usuários de grande porte, como exchanges, que enviam várias transações de uma só vez.

“Agora o minerador está deixando dinheiro na mesa”, disse Green à CoinDesk.

O fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, também escreveu uma proposta que simplifica o algoritmo de precificação de gás, facilitando a previsão do preço correto do gás.

Mais adiante, um algoritmo simplificado como esse poderá eliminar os atuais erros de precipitação do mercado de gás. Mas, embora tenha sido amplamente bem recebido, seria necessário que todos os usuários atualizassem o seu software.

“Isso definitivamente ataca o coração do problema, mas eu ficaria surpreso em ver essa melhoria ser implementada antes do final de 2018”, disse Green à CoinDesk.

Por outro lado, a proposta de Green, que poderá ter um “forte impacto na rede”, requer apenas que o código seja implementado pelos mineradores, e não exigiria um hard fork para melhorar a eficiência.

Green disse ao CoinDesk:

“Isso efetivamente adiciona um ciclo de feedback que pode ajudar todos a priorizar as transações de forma eficaz.”

Cenário mais amplo

No entanto, Afri Schoedon, gerente de comunicações da Parity, disse em entrevista à CoinDesk que a discussão subjacente é a questão maior de escala para acompanhar a demanda dos usuários.

“Em geral, o mercado de preço do gás é algo positivo e eficiente, em teoria. Mas na realidade, os clientes estão no limite do que podem processar”, disse Schoedon à CoinDesk.

Castonguay, responsável por uma medida de escala de curto prazo chamada GasToken Factory, que permite aos usuários lucrar com a limpeza de dados desnecessários no blockchain, concordou que a escala era a preocupação subjacente.

“Os recentes aumentos nos preços do gás são apenas um reflexo de que o blockchain do Ethereum esteve próximo de sua produção máxima por algum tempo”, disse Castonguay. “Isso reflete que as pessoas têm usado o protocolo consistentemente – e que ele precisa ser escalonado.”

Dito isso, as soluções de escala, como sharding, são tecnologias experimentais de longo alcance, e o cronograma para sua conclusão ainda é desconhecido.

“Esta é uma pesquisa de ponta”, Nick Johnson, desenvolvedor do ethereum, respondendo a um usuário insatisfeito, escreveu no Reddit: “Ninguém mais consegui resolver esse problema. Portanto, vamos dar tempo a ele”.

Ainda assim, tanto um problema de dimensionamento quanto de otimização, falando com a CoinDesk, Monahan enfatizou que essa solução amplia o conjunto de pessoas capazes de auxiliar na melhoria da rede.

“Todos nós temos um papel a desempenhar na construção do futuro”, disse Monahan, concluindo:

“Devemos todos tentar participar de discussões, fornecer feedback sobre as ferramentas que estamos usando e ser participantes ativos neste futuro. O melhor mundo é aquele em que todos trabalhamos juntos.”

Siga o Criptomoedas Fácil no InstagramCLIQUE AQUI !!!