Início Educação 7 dicas de como aplicar o seu 13º salário

7 dicas de como aplicar o seu 13º salário

1039
1

Para a maioria dos trabalhadores brasileiros, o fim do ano geralmente significa receber dinheiro extra na conta. Estamos falando, naturalmente, do 13º salário.

O 13º, como o próprio nome diz, trata-se de um salário extra aos 12 meses de recebimento normais, o qual geralmente é pago no final do ano (pode também ser pago em duas parcelas, uma no meio e outra no final do ano). Esse dinheiro extra já faz parte da renda de muitas pessoas que geralmente esperam ansiosas pelo seu recebimento, seja para investir, para quitar alguma dívida ou simplesmente fazer as compras de final de ano.

Entretanto, algumas pessoas ainda tem dúvidas sobre a melhor forma de usar esse dinheiro. Muitos querem investir, mas não sabem por onde começar; outros querem pagar dívidas, mas ficam em dúvidas sobre qual delas pagar primeiro. Para auxiliar nessa tomada de decisão, aqui estão sete coisas que é possível fazer com o 13º, seja para pagar dívidas, consumir ou investir. Confira:

Pagar as contas do ano

O que a grande parte dos brasileiros costuma fazer. Com mais de 57% da população endividada, o dinheiro do 13º provavelmente será usado para quitar débitos pendentes. Se esse for o seu caso, procure sempre quitar a dívida com os maiores juros e pechinche bastante – especialmente se tiver dinheiro para pagar o valor à vista.

Fazer as compras de natal

Quem já quitou todas as dívidas e não possui contas pendentes pode utilizar o dinheiro extra para comprar os presentes de final de ano. Afinal, todos nós gostamos de presentes. Dessa forma, o recomendado é sempre pedir desconto e evitar parcelamentos que possam se acumular com as futuras dívidas de início de ano (material escolar, impostos, etc).

Investir em um fundo de curto prazo

Por falar em dívidas de início de ano, infelizmente não há como fugir delas. Especialmente de impostos. E por terem juros salgados, essas dívidas precisam ser quitadas. Uma idéia é investir o 13º em um fundo de curto prazo – como um CDB ou Tesouro Selic – e esperar o vencimento da dívida. Assim será possível quitá-la à vista, conseguindo um belo desconto, e ainda ficar com os rendimentos adquiridos no período de aplicação.

Investir para a aposentadoria

Para aquelas pessoas que possuem uma visão de longo prazo e são bem planejadas financeiramente, uma boa dica é fazer um planejamento para quando não quiser mais trabalhar. Um fundo de longo prazo é uma boa opção nesses casos, especialmente se tiver isenção de imposto. LCI e LCA são ótimos investimentos do tipo.

Obter dividendos investindo em ações ou fundos imobiliários

E se ao invés de usar o 13º para comprar produtos de empresas fosse possível usá-lo para comprar as empresas? Ou, pelo menos, parte delas.

Investindo em ações e fundos imobiliários é possível. Quem compra uma ação ou cota de um fundo torna-se dono daquele pedaço, ganhando direito a participação nos lucros da empresa na forma de dividendos. E a melhor parte: os dividendos recebidos são livres de imposto de renda.

Comprar bitcoin

Quem comprou bitcoin no início do ano teve, até o momento, mais de 1000% de retorno. Isso mesmo: MIL POR CENTO de retorno apenas em 2017. E a tendência do ativo é continuar se valorizando a medida que o seu uso e adoção por vários mercados cresça mundialmente.

Sendo assim, destinar o 13º (ou uma parcela dele) para a compra desse ativo pode ser um investimento bastante rentável. Mesmo uma aplicação irrisória de 50 reais feita no ano passado teria se transformado em mais de 700 reais. Portanto, destinar uma fração de dinheiro na compra da moeda pode ser um grande negócio.

Gerar renda passiva investindo em outras criptomoedas

Ainda que o bitcoin seja um excelente investimento, ele possui uma “falha”: não gera renda passiva. Ou seja, não é possível gerar mais bitcoins a partir da quantia que o investidor já tem; ele apenas compra e guarda, esperando a valorização do ativo.

Porém, existem outras moedas que tornam possível a obtenção de renda passiva. Quanto mais moedas o investidor tem, mais ele pode render. Um exemplo é uma moeda chamada Decred, atualmente cotada perto dos 30 dólares. Possuindo a partir de 65 decreds, o investidor pode obter um rendimento que se aproxima dos 3% ao mês utilizando-se de renda passiva através de um processo chamado mineração PoS (Proof of Stake).

Se o seu perfil é mais arrojado e com alta tolerância a riscos, essa pode ser uma excelente opção.

Conclusão

Seja para quitar dívidas, consumir ou investir, existem várias opções para a utilização segura e benéfica do 13º. Porém, o mais importante é que a solução escolhida esteja de acordo com o seu perfil pessoal e de investidor.

Caso tenha alguma dívida pendente, priorize o seu pagamento antes de começar a investir. Assim, os investimentos serão mais saudáveis, tranqüilos e não será necessário liquidar nenhum deles para efetuar o pagamento de dívidas.

Siga o Criptomoedas Fácil no InstagramCLIQUE AQUI !!!