domingo , 30 abril 2017

Arquivos de Tag: tecnologia

3ª Edição do Meetup Bitcoin SP Discute sobre Aspectos Tecnológicos e Trading

São Paulo, abril de 2017- A FOXBIT, maior corretora de bitcoins do Brasil, realiza a 3ª edição do Meetup Bitcoin SP. Na noite da próxima terça-feira (11), Marco Carnut (Tempest e Coinwise), Edilson Osorio (OriginalMy.com), Fausto Botelho (Enfoque e Com Stop), Rodrigo Mendes ( LipperHub), Safiri Felix (Safiri Felix) e Guilherme Rebane (Trader) se reúnem aos sócios da FOXBIT para discutir sobre os aspectos tecnológicos e desafios de trading na área de bitcoin no Brasil.

O evento terá dois painéis, o primeiro com o tema Desafios tecnológicos do bitcoin e irá discutir sobre a tecnologia por trás do bitcoin e quais são os maiores desafios encontrados no setor. Já o segundo painel, Bitcoin como investimento e trading, discutirá sobre como a criptomoeda pode ser uma alternativa para investimentos. “O bitcoin ainda é pouco discutido no Brasil e as pessoas muitas vezes não entendem o leque de possibilidades que temos com a criptomoeda, ela já pode ser usada para pagamentos e também como uma forma de investimento, e é isso que queremos mostrar”, comenta João Paulo Oliveira, sócio cofundador da FOXBIT.

O evento acontecerá no Auditório da Telefônica – VIVO, R. Martiniano de Carvalho, 851 – Bela Vista, com um welcome coffee às 19h30 e início às 20h, e após as apresentações acontecerá um happy hour de networking. O Meetup será transmitido ao vivo pelo foxbit.com.br/aovivo. A 3ª edição do Meetup Bitcoin tem o custo de R$ 12,00 e a inscrição deve ser realizada pelo site foxbit.com.br/meetup.

3ª Meetup Bitcoin SP Foxbit

Aviso: Este artigo é apenas para fins informativos, a informação não constitui aconselhamento de investimento ou uma oferta para investir. Criptomoedas Fácil não é responsável por qualquer conteúdo, produtos ou serviços mencionados no comunicado de imprensa.

UNEP Indica que a Tecnologia é Crucial para o Desenvolvimento Sustentável das Fintech

Uma mudança radical na evolução do setor financeiro globalmente. Isto foi relatado pelo United Nations Environment Programme (UNEP sigla em Inglês), que garante que  as Startups FINTECH são chave fundamental para o desenvolvimento sustentável em uma economia mundial.

Em sua publicação “Fintech e Desenvolvimento Sustentável: Avaliação das implicações , “o programa detalha a necessidade financeira global para a automação de processos utilizando Inteligência Artificial (AI), a Internet das Coisas (IO), e Blockchain, apontando para um futuro com soluções inteligentes que prometem redesenhar a estrutura da economia como nós conhecemos até hoje.

Desenvolvimento de mudança

Embora o estudo fala que o ecossistema Blockchain consiste em desenvolvimento de tecnologias de excelência e liquidação, é notável o seu impacto sobre o sistema financeiro. O que começou como uma onda inovadora na sequência da crise financeira  em 2008, evoluiu para um mecanismo imparável de soluções sustentáveis para as necessidades da sociedade global.

Confira O que é Blockchain? Explicando de forma simplificada

O relatório mostra os benefícios duradouros da aplicação e novas tecnologias para processos industriais e financeiros, como solução para os problemas de confiança nas instituições, registros confiáveis, processos simples e redução de custos, que já está gerando maior adoção pública a Bitcoin e blockchain por parte de algumas empresas.

Confira ITS Rio disponibilizará app baseado em Blockchain

A ascensão do Bitcoin e seus blockchains sistema associados, altchains cadeias laterais tem sido descrito como uma força disruptiva no setor financeiro, em oposição ao status de transações financeiras centralizadas, confiáveis ​​e privadas do modelo atual. Blockchain pode ser uma tecnologia ainda imatura, mas apenas como tecnologias disruptivas anteriores, como os telefones móveis World Wide Web, tem o potencial de gerar uma onda de inovação que permite uma interação transparente entre os participantes através de uma rede confiável e segura que distribui acesso auditável à informação. UNEP – United Nations Environment Programme.

Conclusão

A agência defende o uso de tecnologias descentralizadas como uma solução eficiente para os problemas que ainda existem no cenário mundial: a fome, os refugiados, as alterações climáticas e a pobreza.

Ainda há um longo caminho a percorrer, não há dúvida de que o recurso de redução de custos e facilidade de automação de processos são um benefício que a indústria deve desenvolver, apesar das suas reservas em que o setor bancário deve adotar, para sua própria sobrevivência.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

O que é Blockchain? Explicando de forma simplificada

Como pratos sujos podem explicar o funcionamento e o potencial de confiança na Blockchain?

Leo, Júlio, Maria e Elsa são quatro estudantes que moram na mesma república em Florianópolis. Como em quase toda república espalhada pelo Brasil, é uma guerra na hora de saber quem vai lavar os pratos sujos de Miojo. Os estudantes tentaram implantar um sistema de revezamento, mas foi um fracasso fenomenal: Júlio é o maior malandro, Leo distraído, Maria coincidentemente nunca está em casa na sua vez de lavar os pratos. Elsa é maior cri-cri e toda vez que tem visita pra jantar na vez dela lavar a louça ela argumenta que ficou em desvantagem, que trabalhou mais que os outros e quer descontar o trabalho extra na outra semana. No fim ninguém entra em acordo e é a senhoria que tem que decidir com mão de ferro quem vai lavar os pratos.

Pra resolver a este problema a senhoria teve uma ideia simples, porém genial: ela inventou de dar fichinhas coloridas a cada um dos estudantes (cada estudante com sua cor) e construiu um longo tubo transparente e indestrutível que ela chumbou ao chão da sala (tá bom, a ideia não era tão simples assim, mas vai seguindo o raciocínio).

Quando um estudante termina de lavar os pratos ele deposita uma fichinha no tubo pra ficar registrado que ele cumpriu com sua parte no revezamento. Pra evitar trapaças só é possível colocar uma fichinha no tubo se três dos quatro estudantes estiverem presentes, pois na tampa do tubo tem quatro cadeados onde cada estudante tem a chave para um deles.

Cada fichinha só pode ser colocada no tubo com o consentimento de pelo menos mais dois estudantes, que só permitem que isso aconteça depois de checarem que a pessoa realmente lavou os pratos e deixou a cozinha limpa. Como o tubo é inviolável e indestrutível, cada fichinha vale como registro eterno de que aquela louça foi lavada naquele dia. E basta uma olhadinha no tubo pra saber quem é o próximo a ter que lavar os pratos. É o tubo da verdade!

50% dos cadeados já permitem que se coloque uma fichinha no tubão

Infelizmente, o sistema só funciona se todos forem honestos. Se dois dos estudantes resolverem agir de má fé e se recusarem a abrir seus cadeados pro cara que acabou de lavar os pratos, o sistema deixa de funcionar. Agora, esse risco seria diminuído se morassem nessa república 1000 estudantes em vez de 4, pois as chances de que 50% estivessem agindo de má fé cairiam consideravelmente.

Mas claro, um tubo com 1000 cadeados na sala seria impraticável. Onde a galera vai dormir no carnaval? E se a gente pudesse usar a tecnologia pra utilizar este mesmo princípio no mundo virtual?

Bom, essa tecnologia existe e se chama blockchain. O blockchain nada mais é que um grande arquivão, consultável e transparente como nosso tubo, onde a gente pode “empilhar” registros da mesma maneira que os estudantes de Floripa empilhavam fichinhas. A estes registros nós damos o nome de blocos. E à essa cadeia de blocos damos o nome de…. blockchain! Tchãrã!

o que e blockchain

Assim como acontecia com as fichinhas no tubo, uma vez um registro é adicionado ao blockchain ele não pode ser retirado nunca mais, passa a ser verdade eterna e absoluta! (claro que no Brasil eventualmente vai aparecer algum juiz querendo apagar registro de blockchain por ordem judicial, quem viver verá!)

Naturalmente isso aqui é uma simplificação e a realidade tecnológica do blockchain é muito mais complexa, envolve criptografia, resolução de problemas matemáticos complicados, redundância da cadeia, etc. Mas conceitualmente o funcionamento do blockchain é semelhante ao do nosso tubão, que, trabalhando na base do consenso permite aos estudantes eliminar a necessidade de se confiar às cegas uns nos outros ou de depender de uma autoridade central. Pense por exemplo na principal aplicação do blockchain hoje em dia, que é viabilizar a existência de criptomoedas como o Bitcoin. Nessas moedas, cada operação fica registrada no blockchain, eliminando assim a necessidade de uma instituição financeira central validando cada transação.

Bitcoins e moedas virtuais não são as únicas aplicações do blockchain. Sua natureza transparente e descentralizada, somadas à sua capacidade de prover informação irrefutável e irreversível permitem diversas aplicações como por exemplo gerenciamento de propriedade (pense se a escritura de sua casa ficasse registrada em uma blockchain ,  seria o fim dos cartórios!), confirmação de identidade/documentos, validação de votos, enfim, qualquer lugar onde você precisa de um registro confiável de informações.

Blockchain, o maior legado do Bitcoin.

O sistema bancário atual não foi desenhado para o mundo digital. Embora os canais tenham sido em parte digitalizados, a forma como os registros das transações foram modelados é voltada para o mundo analógico. Os dados precisam estar super protegidos, em ambientes próprios e centralizados, que exigem altos investimentos e uma cara manutenção, além de estarem susceptíveis a ladrões e hackers.

E o Bitcoin tem se mostrado a solução para isso.

O Bitcoin é uma criptomoeda e um sistema de pagamento online baseado em protocolo de código aberto que é independente de qualquer autoridade central. Um bitcoin pode ser transferido por um computador ou smartphone sem recurso a uma instituição financeira intermediária. O conceito foi introduzido em 2008 num white paper publicado por um grupo ou alguém com o pseudônimo de Satoshi Nakamoto que o criou e o chamou de sistema eletrônico de pagamento peer to peer (p2p).

Uma Block chain ou blockchain é um livro-razão público de todas as transações bitcoin ou de criptomoedas, até então realizadas. Está constantemente crescendo à medida que novos blocos completos são adicionados a ela por um novo conjunto de registros. Os blocos são adicionados à blockchain de modo linear e cronológico. Cada nó conectado à rede bitcoin tem a tarefa de validar e repassar transações   obtém uma cópia da blockchain após o ingresso na rede bitcoin. A blockchain possui informação completa sobre endereços e saldos diretamente do bloco gênese primeiro bloco criado até o bloco mais recentemente concluído.

A blockchain é vista como a principal inovação tecnológica do bitcoin visto que é a prova de todas as transações da história da rede. Seu projeto original tem servido de inspiração para o surgimento de novas criptomoedas semelhantes ao bitcoin e de bancos de dados distribuídos e anônimos.

Realmente a tecnologia Blockchain mudará nossas vidas drasticamente.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

A baixa volatilidade do bitcoin é um sinal de maturidade

Bobby Lee, cofundador e CEO da exchange chinesa BTCC, declarou recentemente que a taxa de volatilidade decrescente do bitcoin é um sinal de maturidade que pode ser visto como uma evidência para provar que uma reserva de valor pode de fato ser digital.

Durante o ano passado, a taxa de volatilidade do bitcoin diminuiu substancialmente, chegando a 4,97% no início do ano, já em dezembro caiu para 1,41%.

Bitcoin ganhou ainda mais  estabilidade em 2016, uma vez que ultrapassou outras reservas e moedas nacionais, comparadas ao seu valor de mercado.

No segundo semestre deste ano, o ecossistema bitcoin recebeu forte destaque da mídia, mostrando o quanto bitcoin tornou-se menos volátil, comparado a libra esterlina britânica, que ainda é considerada como uma das principais moedas de reserva no mundo.

Sem dúvida, bitcoin provou o seu potencial como uma reserva de valor e como uma moeda global em 2016, com baixa taxa de volatilidade e forte desempenho em termos de preço, valor de negociação e capitalização de mercado.

Valorização bitcoin em 2016

Este ano, o valor da moeda subiu 80%, ultrapassando a alta de 35% que foi registrada no ano passado. Só em novembro, o aumento foi de 9%, chegando a picos de $788.

A última alta aconteceu depois que o primeiro ministro da Índia, Narendra Modi, anunciou a retirada de notas de 500 e 1.000 rúpias de circulação. Juntas, as notas correspondiam a US$ 256 bilhões.

Segundo Modi, as notas estavam alimentando a corrupção, sendo falsificadas e financiando ataques contra o país.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

Plataforma baseada em blockchain permitirá transparência em doações

A instituição de caridade Bitgive anunciou o lançamento de Givetrack, uma plataforma baseada em blockchain que rastreia as transações sem fins lucrativos. A plataforma visa permitir uma maior transparência e assegurar que os fundos dos doadores cheguem ao seu destino.

Sobre a Bitgive

Bitgive, criada em Julho de 2013 pela fundadora Connie Gallippi, foi à primeira organização sem fins lucrativos a usar bitcoin. Ao longo dos anos, a organização de caridade tem ajudado muitas pessoas como o Projeto Água, através do financiamento de um poço de água trabalhando no Quênia, o poço dá água limpa para Shisango Girls ‘Secondary School e uma comunidade de 500 pessoas. Bitgive também ajudou a caridade Save The Children e Medic Mobile ao longo dos anos.
 Recentemente a Connie Gallippi anunciou o desenvolvimento de Givetrack na Conferência Bitcoin América Latina Labitconf. Agora o projeto lançou, dando uma ideia descritiva do que a missão da Givetrack será. 
A plataforma ainda está em desenvolvimento, mas o beta Givetrack será lançado em breve via blog do sem fins lucrativos.

“Os doadores tornaram-se mais interessado em saber como os seus fundos são gastos e eles querem ver os resultados”, explicou à fundadora Bitgive Connie Gallippi. “Não tem sido fácil que no passado você pode ter ouvido de dinheiro a ser preso em contas bancárias ou mesmo indo para as mãos de funcionários corruptos. Bem, isso acabou agora. Com Givetrack nós asseguramos que as doações cheguem às pessoas que deveriam chegar a […] Givetrack é uma plataforma que acompanha doações e amarra-los diretamente para os resultados no terreno. Givetrack usa a tecnologia blockchain que garante a transferência segura de fundos através das fronteiras em apenas alguns minutos”.

Givetrack desenvolvido com ajuda de diversos parceiros

Givetrack foi desenvolvido por Bitgive, e a organização sem fins lucrativos está a trabalhar em estreita colaboração com vários parceiros. 
O projeto foi financiado por empresas e indivíduos, como Coinfabrik, Rocelo Lopes da Coinbr, Matthew Roszak de Bloq, e entre outros.  
Bitgive apresenta características futuras em Givetrack que irá criar uma plataforma amplamente aplicável, camadas de análise de dados, loops de feedback, os mecanismos de informação, e muito mais.
Bitgive afirma que eles não podem parar a pobreza e desastres naturais, mas com a ajuda de tecnologia que pode ajudar as pessoas em necessidade. A organização sem fins lucrativos tem trabalhado com bitcoin desde 2013 e acredita que é uma “tecnologia surpreendente” quando se trata de transparência.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

6 Aplicações práticas do Blockchain no mundo real

O Blockchain é vista como a principal inovação tecnológica do bitcoin visto que é a prova de todas as transações na rede. Seu projeto original tem servido de inspiração para o surgimento de novas criptomoedas e de bancos de dados distribuídos.

Entenda de forma fácil o que é a Blockchain

Blockchain é um tipo deblockchain banco de dados distribuído que guarda um registro de transações permanente e à prova de violação. O banco de dados blockchain consiste em dois tipos de registros: transações individuais e blocos.

De fato, a blockchain pode ser configurado para trabalhar de várias formas, utilizando mecanismos diferentes com o objetivo de alcançar um consenso sobre transações e, em particular, definir participantes conhecidos na cadeia e excluir todos os outros. O maior exemplo da utilização de blockchain, é na área do Bitcoin, emprega um registro público anônimo no qual todos podem participar. Para utilizações mais privadas do blockchain entre um número menor de atuantes, muitas organizações estão empregando blockchains para controlar quem participa das transações.

Veja as formas de aplicações que a Blockchain pode desenvolver

1 Descentralização

centr-descentTradicionalmente, as trocas exigem um intermediário, como um corretor para corresponder compradores e vendedores. Com o blockchain, a necessidade de terceiro árbitro partido é obsoleto. Ordens de compra e venda são combinados e executados utilizando um sistema de custódia enquanto a rede atua como um validador.

2 – Armazenamento em nuvem Distribuído

nuvem-digital-criptomoedasfacilArmazenamento de dados Blockchain vai se tornar um disruptor maciço em breve. (3-5 anos). Serviços de armazenamento em nuvem atuais são centralizados assim, você e demais usuários, deve colocar confiança em um único provedor de armazenamento. “Eles”, controlam todos os seus ativos online.

Por outro lado, com o Blockchain este pode tornar-se descentralizada. Por exemplo, Storj é o armazenamento da nuvem de testes beta usando uma rede Blockchain potência para melhorar a segurança e diminuir a dependência. Além disso, você pode alugar sua capacidade de armazenamento em excesso.

Outro exemplo: A Biblioteca Descentralizada de Alexandria, que usa o blockchain do bitcoin e Florincoin para armazenagem, distribuição e venda de arquivos.

Saiba mais sobre A Descentralizada Biblioteca de Alexandria

3 – Identidade Digital

digital_securityBasta imaginar, nunca ter que se preocupar com sua segurança digital, a segurança tem sido um enorme problema no mundo.

Tecnologias Blockchain fazem rastreamento e gerenciamento de identidades digitais de forma segura e eficiente, resultando em fraude reduzida.

Seja bancário, cuidados de saúde, a segurança nacional, a documentação da cidadania ou varejo online, autenticação de identidade e autorização é um processo intricada tecida em comércio e cultura em todo o mundo.

Eventos como bancos de dados hackeados/Crackeados e contas violadas estão brilhando a luz sobre os problemas crescentes de uma sociedade tecnologicamente avançada, sem inovações de segurança baseadas em identidade ultrapassadas.

A tecnologia Blockchain oferece uma solução para muitos problemas de identidade digital, onde a identidade pode ser autenticada exclusivamente de forma irrefutável, imutável e seguro. Os métodos atuais utilizam sistemas baseados em senhas problemáticas de segredos partilhados trocados e armazenados em sistemas inseguros. Sistemas de autenticação em Blockchain são baseados em criptografia de chave pública. Na autenticação de identidade Blockchain, a única verificação realizada é se a transação foi ou não assinado pela chave privada correta. Infere-se que quem tem acesso à chave privada é o proprietário e a identidade exata do titular é considerada irrelevante.

Exemplo a Originalmy é Primeira empresa brasileira a utilizar o protocolo Blockchain 2.0
é uma das top 100 empresas mais influentes no mundo.

“Nela é possível provar uma ideia, registrar uma Música autoral, registrar marcas e patentes, criar contratos, resguardar seu direito sobre obras de arte, e registrar qualquer arquivos digital na Blockchain.”

4 – Comunicações cadeia de fornecimento e de prova de proveniência

fornecimentocriptomoedasfacilA maioria das coisas que compramos não são feitas por uma única entidade, mas por uma cadeia de fornecedores que vendem os seus componentes (por exemplo, grafite lápis), para uma empresa que monta e comercializa o produto final. Se qualquer um desses componentes falhar, no entanto, a marca leva o peso da reação que detém a maior parte da responsabilidade por sua cadeia de fornecimento.

Mas, e se uma empresa poderia proativamente fornecer registros digitalmente permanentes, auditáveis que mostram as partes interessadas o estado do produto em cada etapa de valor acrescentado? Isso pode ser feito com registro na blockchain.

5 – Contratos inteligentes

E se você pudesse cortar sua taxa de hipoteca, e torná-lo mais fácil de atualizar a sua vontade?

O mundo dos contratos inteligentes está se aproximando rapidamente, mas o que são eles?

Businessman pressing contract on a digital screen, concept about agreement in business

Estes são juridicamente vinculativas contratos digitalizados programáveis inscritos na Blockchain. Eles são inteligentes, porque eles são automatizados e pode auto executar. O que os desenvolvedores fazem é implementar contratos legais como variáveis e declarações que pedem liberação de recursos usando a rede bitcoin como um “terceiro executor partido,” em vez de confiar em uma única autoridade central.

Por exemplo, se duas pessoas querem trocar $ 100 em um momento específico no futuro, quando um conjunto de pré-requisitos forem cumpridos, detalhes as condições, de pagamento e das partes seria programado em um contrato inteligente. Uma vez que sejam cumpridas as condições definidas, os fundos seriam libertados e enviados para a parte apropriada de acordo com os termos.

“Contratos inteligentes resolve o problema de confiança no intermediário entre as partes a um acordo, mesmo que seja entre as pessoas, transferência de ativos como o ouro ou a execução de decisões entre duas partes em um contrato de apostas”

6 – Votação Digital

blockchain_voting-criptomoedas-facilO maior obstáculo para a obtenção de processos eleitorais online, de acordo com seus detratores, é a segurança. Usando blockchain, um eleitor pode verificar que ela ou seu voto foi transmitida com sucesso, permanecendo anônimo para o resto do mundo. Em 2014, a Aliança Liberal, um partido político na Dinamarca, tornou-se a primeira organização a usar blockchain de voto. Com o número de eleitores americanos ainda surpreendentemente baixo, votação digital disperso pode representar uma forma de emancipar os não participantes.

“Muitos estados usam máquinas de voto, que em geral tem mais de 10 anos de idade que não estão se tornando antiquadas, e também estão se tornando cada vez mais caros para manter, como algumas peças não são mais fabricados. Fraude eleitoral prejudica o próprio tecido da democracia.”

O teste de segurança

Uma equipe credenciada para observar as eleições municipais de 2013 na Estónia o único país a executar votação pela Internet em larga escala, revelou que eles observaram os funcionários eleitorais baixar o software chave através de conexões de Internet inseguras, digitando PINs e senhas, e preparar instalar o software de eleição em PCs inseguros. A Noruega também cancelou os ensaios de sistemas de voto nas eleições locais e nacionais, concluindo que os temores dos eleitores sobre os seus votos se tornando pública pode minar os processos democráticos.

Conclusão

Minha esperança é que em um futuro próximo a tecnologia Blockchain se tornem o padrão ouro para todas as nações do mundo. É o tempo necessário para que o sistema e os governos sejam mais transparente.

O potencial futuro das aplicações Blockchain ainda estão evoluindo. Os próximos 2 a 3 anos serão todos sobre experiências, independentemente de qual aplicativo se torna o primeiro em uma escala global. A linha inferior é Blockchain está aqui para ficar e está transformando a maneira como nossas funções da sociedade agem.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

Comentários e sugestões são bem vindos.

ITS Rio disponibilizará app baseado em Blockchain

Muito se tem falado a respeito do quanto à tecnologia Blockchain tem mudado processos e serviços em esfera global, tudo graças à confiança.

Hoje os diplomas do ITS já são emitidos em Blockchain, visando à necessidade para qualquer pessoa validar a originalidade dos certificados emitidos pela instituição sem a necessidade de usar papel para emissão.

Projeto de lei baseado em blockchain

Segundo Ronald Lemos, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS Rio), se hoje reunir 1% das assinaturas do eleitorado do país, que corresponde a mais ou menos 1.4 milhões de eleitores.

O congresso nacional é obrigado a aceitar o projeto de lei resultante dessas assinaturas. Ronaldo Lemos, ITS Rio.

Em 27 anos de constituição não há pelo menos nenhum projeto, formalmente aceito no congresso originário de assinaturas populares.

O processo de auditoria em documentos com assinaturas populares hoje é praticamente impossível analisar e validar estas assinaturas. Ronaldo afirma que quando estas assinaturas são alcançadas um deputado vai e propõe ele mesmo o projeto.

O que o ITS planeja neste momento é um sistema baseado em blockchain para “coletar” assinaturas de uma forma totalmente transparente e impossível de fraudar, o aplicativo estará disponível a partir de 2017.

Com o nome “mudamos” o aplicativo permite a criação de projetos de lei, totalmente baseado em blockchain e todas as assinaturas serão guardadas e preservadas, sendo possível realizar auditoria e provar a originalidade das assinaturas pelo próprio aplicativo, de modo que seja:

Auditável

A qualquer momento, pode ser feita uma auditoria nas assinaturas.

Infraudável

Praticamente impossível falsificar uma assinatura.

As ambições são imensas, será que 2017 teremos projetos no congresso ou na câmara de vereadores graças ao blockchain?

Uma coisa é certa, 2017, será o ano que tanto para o Bitcoin e Blockchain ambos ganharão força proporcionando diversas transformações na sociedade.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

4 coisas que você PRECISA saber sobre o blockchain

A operação de moedas digitais como Bitcoin baseia-se na bases de dados que são capazes de rastrear grandes volumes de transações e mantê-los seguros.

A solução usada por moedas digitais, embora seja cada vez mais encontrando outras aplicações também é o blockchain. Primeiro implementado em 2009, a tecnologia blockchain consiste em blocos que possuem lotes de transações timestamp, cada bloco é ligada à anterior, formando assim uma cadeia.

Mas como funciona?

Um sistema blockchain é composto por dois tipos de registro, transações e blocos. Transações são simplesmente as ações realizadas em um período particular, estes são armazenados juntos em um bloco.

O que torna Blockchain diferente é que cada bloco contém o hash criptográfico da anterior, formando assim uma cadeia. O que um hash criptográfico faz é pegar os dados a partir do bloco anterior e transformá-lo em uma nó compacto. Uma vez que estes nós são impossíveis de prever que significa que qualquer adulteração com a cadeia é facilmente detectado.

Este método significa que os blocos não necessitam de ter os números de série, o hash permite que eles sejam exclusivamente identificado, bem como verificar a sua integridade. Cada bloco confirma a validade da anterior direito de volta para o assim chamado “bloco de génese” no início da cadeia.

A ligação dos blocos não é a única coisa que mantém a cadeia segura, no entanto. Também é descentralizada, cada computador com o software instalado tem uma cópia do blockchain que é constantemente atualizado com novos blocos. Não há nenhum servidor centralizado segurando as transações e porque cada novo bloco deve atender aos requisitos da cadeia e ninguém é capaz de substituir operações anteriores.

Outros requisitos de transação pode ser adicionado a definir o que constitui uma entrada válida. Em Bitcoin, por exemplo, uma transação válida tem de ser assinado digitalmente, tem de passar um ou mais não gastos saídas de operações anteriores, e a soma das saídas de transação não pode exceder a soma das entradas.

A evolução: Blockchain 2.0

Enquanto as aplicações iniciais de Blockchain foram restrito a moeda digital, Blockchain 2.0 surgiu em 2014 uma blockchain programável. Esta tecnologia de segunda geração permite que o blockchain seja configurado para responder a certos gatilhos. Por exemplo, faturas poderia ser ajustado para pagar-se automaticamente quando as mercadorias são entregues, ou contratos inteligentes poderia desencadear pagamentos quando partes de um projeto fossem  concluídas.

Blockchain 2.0 tem o potencial de abrir a tecnologia para utilização em outras indústrias, além das finanças. No negócio da música, por exemplo, Blockchain 2.0 pode ser utilizado na gestão de direitos autorais e coleta de royalties a partir de streaming digital e downloads. Pode ser utilizado para registros de ativos, gerenciamento de coisas como imóveis, veículos ou de máquinas com a possibilidade de cobrar com precisão com base no uso.

Porque o blockchain não pode ser adulterado que abre o caminho para contratos inteligentes. Isso permite que as empresas realizar contratos com a certeza de que eles não podem ser alterados. Isso também deve reduzir o custo de entrar em um contrato com vários terceiros, porque todos estarão sujeitos às mesmas condições. Por outro lado da moeda contratos inteligentes podem revelar-se menos flexível quando se trata de adaptar a condições variáveis e pode ser difícil e caro para rever.

Porque é importante

Blockchain oferece a possibilidade de criar um sistema à prova de fraude para transações e trocas. Tem, portanto, potencial para uso fora da esfera moeda digital e está atraindo interesse entre as instituições financeiras tradicionais e em outros lugares.

Uma parte fundamental da atração é que Blockchain, e todas as aplicações Blockchain 2.0 até à data, são de código aberto. Isso torna a tecnologia transparente, o que significa que cada usuário tem a capacidade de verificar a integridade de sua cópia da cadeia contra a de outros usuários. Do mesmo modo qualquer nó é capaz de determinar a validade de uma transação sem referência a uma autoridade central.

Blockchain também pode ser implementada de tal modo a preservar a privacidade do utilizador. Esta é uma das razões pelas quais Bitcoin é o método de pagamento de escolha para os criminosos cibernéticos como um nó de rede Bitcoin não tem de revelar a identidade da pessoa fazer ou receber pagamentos. Em cenários Blockchain 2,0 este é, obviamente, menos desejável. É possível incluir detalhes do usuário na cadeia, mas isso seria acessível a qualquer pessoa usando o aplicativo – e certamente criaria problemas ao cumprimento da legislação de proteção de dados.

Isto é tanto um problema e uma oportunidade. Métodos terão de ser desenvolvidas para realizar operações de confiança, embora ainda mantendo uma trilha de auditoria. O departamento jurídico é provável que querem ter um interesse em como os contratos Blockchain 2.0 são codificados e haverá questões interessantes que cercam como um contrato inteligente pode ser contestada no tribunal.

O que esperar para os próximos anos?

Não há dúvida de que a moeda digital deixou de ser uma novidade para algo que é agora aceite por muitas empresas tradicionais. O futuro da tecnologia blockchain, portanto, parece assegurada. è inevitável, futuramente, veremos vários serviços baseados em blockchain, imagina só chamar um carro autônomo com  um simples pagamento, efetuar pagamentos automáticos de suas contas básicas, como energia, água e internet, sem mesmo imprimir alguma fatura. Fascinante né! Agora só nos resta, aguardar para tudo isso se tornar parte do nosso dia a dia.

Rastrear as transações na blockchain é a principal arma contra o crime cibernético

Nos últimos anos  tem aumentado a medição de forças entre hackers e autoridades no campo da tecnologia, obrigando este último a adaptar-se a continuar na luta contra ameaças novas.

O aparecimento de bitcoin tem sido um tormento para as principais autoridades. Na verdade, de acordo com um estudo realizado pela EUROPOL este ano,  a moeda virtual é o tipo favorito de mudança para os criminosos na web . Operações de fraude, extorsão, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro são apenas um pouco do emprego mais popular relacionada com o criptomoeda.

Vimos anteriormente maneiras de capturar criminosos comuns ecossistema Bitcoin, mas como as novas tecnologias afetam o desenvolvimento do trabalho da polícia?

Mudança de regra

Silk Road , o famoso mercado subterrâneo on-line, que foi desmontado e exibido em 2013, é um exemplo icônico. A história por trás desta operação tomou um rumo quando os agentes envolvidos no caso foram condenados à prisão por furto e obstrução da lei bitcoins. Capturar foi a tarefa do agente  Kathrin Haun.

Em entrevista à Forbes , advogado e especialista em crimes cibernética agente crime FinTech o Serviço Secreto dos EUA reconhece que o tempo que levou o caso não foi treinada para lidar com crimes cibernéticos.

Uma das ferramentas mais valiosas que fou utilizada para monitorar transações com tecnologia blockchain foi o uso da ferramenta Wallet Explorer.  Assim, determinada por um, a equipe Haun foi capaz de identificar que houve apenas um mas dois agentes corruptos.

Ele foi o crime perfeito, eles sabiam cada movimento. Usando sua posição poderia alterar provas, se livrar dele e cobrir seus rastros. Mas eles não podiam escapar foi o registro imutável e permanente do blockchain. Afirma Kathryn Haun Ministério Público Federal, EUA

Em adição, Haun enfrenta outro obstáculo: servidores de e-mail desconhecidos. No processo, descobriu-se que o registo do agente corrupto da plataforma incluía um mercado negro russo, com o domínio yandex.com. O agente sabia exatamente a magnitude deste obstáculo para os investigadores: obter um mandado de busca em um domínio fora dos Estados Membros.

Uma nova solução

Nem todo mundo joga contra as autoridades o tempo para mergulhar nas novas tecnologias. O advogado explica que o caso da Rota da Seda não foi exceção a ser resolvido com o blockchain, mas todos os casos envolveram uso de algumas criptomonedas em comum: a criação e roubo de identidade. No entanto, o uso da tecnologia para gerenciar e distribuir os registros públicos poderia ser a solução .

Um exemplo básico é a informação mantida em instituições médicas. “O que muitas pessoas não sabem é que seus registros médicos são mais valor na web escura que a sua informação financeira , ” Haun frase. Com esta informação, os criminosos podem forjar identidades falsas com mais facilidade, sendo este em grande parte a razão pela qual os hospitais são foco de ataques cibernéticos .

Portanto, a centralização da informação nas instituições é um dos pontos mais fracos do sistema mundial. O blockchain é a melhor maneira de proteger as informações contra esses ataques, diz Haun. Assim, as autoridades podem enfrentar fraude, documentos falsos e manuseio de informações para o gerenciamento de dados descentralizado, seguindo o rastro no sistema.

Além disso, as tecnologias de anonimato como Thor, Invisible Internet Project (I2P), e a prática de misturar bitcoin representam o maior desafio quando você seguir as pistas das operações ilegais. No entanto, o especialista garante que estas técnicas não são motivo de desânimo. ” Thor não é perfeito, obviamente , ” enfatiza Haun.

Há muitos usos bons e legítimos para essas tecnologias (anonimato). Mas eu me preocupo com o efeito que terá sobre a nossa capacidade para resolver crimes. Ironicamente, muitas dessas tecnologias entram em nossas mãos quando seus criadores foram invadidas. Declara Kathryn Haun Ministério Público Federal, EUA.

Finalmente, apesar de seu contato diário com o uso ilegal de criptomonedas, o agente federal não discrimina no emprego deles, uma vez que  o desenvolvimento destas ferramentas de trabalho em favor de ambos os lados. O que está claro, é que cada novo problema irá forçar o sistema para evoluir com o desenvolvimento de uma solução.

Este são alguns dos desafios a serem tomados daqui para frente, da mesma forma que temos um ótimo sistema que garante ao máximo a  nossa privacidade, tem que ter algo que também faça a proteção contra crimes virtuais, a exploração de transações são no blockchain é um dos passos que temos que seguir.

Microsoft anuncia criação blockchain para serviços privados com ethereum

Microsoft anunciou o lançamento oficial do Consórcio  de Rede usando a Blockchain do Ethereum, o próximo passo no desenvolvimento de novos serviços baseados com a tecnologia Blockchain .

O projeto tem como objetivo permitir que diferentes indústrias trabalham  em conjunto através da criação de redes privadas baseadas em Blockchain. Com isso permitirá que usuários criem consórcios simplesmente, com a implantação de uma rede privada ethereum com apenas um clique. Ethereum Blockchain Consórcio de Rede poderá ser o segundo produto baseado na tecnologia blockchain em Microsoft mais promissor, ficando somente atrás do BaaS de  Azure .

De acordo com Marley cinza, diretor de desenvolvimento e estratégia da Microsoft, falou o seguinte sobre o projeto:

Estamos focados em construir uma caixa de areia para os desenvolvedores, trabalhando com clientes e parceiros para desenvolver e combinações de testes de tecnologias e, em última análise, ajudar os clientes a selecionar coleções medidas adequadas para resolver problemas de negócios ferramentas específicas. Marley cinza, Diretor de Desenvolvimento e Estratégia, Microsoft.

Além da criação de consórcios, a nova plataforma integra cinco novas ferramentas que permitem que os consórcios criando contratos inteligentes mais complexas para qualquer número de aplicações de negócios auto executável, parece que desta vez a Microsoft quer tornar mais ainda inteligente o protocolo Ethereum .

Já o Christine Avanessians, diretor de programa sênior da Microsoft, disse que uma das características mais importantes deste projeto é que as empresas podem formar consórcios com apenas três nós que executam a partir do mesmo endereço IP. Isto é possível mesmo se os nós estão geograficamente dispersos, graças à integração em nuvem.

Por o outro lado, ethereum Blockchain Consórcio de Rede fornece aos usuários um maior nível de segurança. Isso cria chaves privadas de usuário automaticamente, de modo a gerar e fornecer chaves privadas manualmente serão coisas do passado para aqueles que usam o sistema. Avanessians disse:

Você não precisa gerar ou fornecer uma chave privada. A chave é automaticamente gerada a partir de sua senha fornecida, simplificados pré-requisito adicional. Christine Avanessians, Diretor do Programa Sênior, Microsoft.

Inicialmente ethereum Blockchain Consórcio de  Rede estará disponível para todos os usuários como uma “amostra grátis” para usar de acordo com suas possibilidades. No entanto, Gray comentou que os usuários ao longo prazo será cobrado, o diretor de desenvolvimento de estratégia junto a gigante da tecnologia, foi mantido em sigilo os nomes das empresas que estão construindo a rede, mas revelou que já tem uma base de clientes para testar o serviço.

Uma coisa é certa, isso só será mais um dos serviços proprietários da Microsoft, pela proposta do serviço em si fica claro o controle de informações e a sua apelação em desenvolvimentos de serviços baseados no protocolo ethereum. O próprio ethereum prova hoje amargamente os problemas que vem enfrentando, tudo isso devido a centralização de poder, tornando suscetível a falha devido a uma não cooperação entre eles.

Será mesmo que ela será capaz? Diante dos ataques a rede ethereum, com uma comunidade totalmente dividida? Vamos esperar e ver qual será o andamento deste projeto.