sábado , 25 março 2017

Arquivos de Tag: BTCC

Envie e receba bitcoins de forma fácil com Mobi

Provavelmente uma das maiores dificuldades para quem está conhecendo o bitcoin, é ter a árdua tarefa de se preocupar em guardar várias chaves privadas, realizar backups e por aí vai.

Solução simples

Mobi

Mas talvez você esteja se perguntando se não existe alguma solução, que possa ser útil nessas horas. Foi pensando nisso que a BTC China (BTCC), considerada maior exchange da China, que desde o início de janeiro de 2017 vem trabalho em uma carteira bitcoin, a Mobi –  Carteira Bitcoin.

Versão beta disponível para Android e iOS

A carteira Mobi está disponível para Android e iOS e suporta até 15 idiomas, inclusive o português do Brasil. Ao fazer o download, ela vincula o número do seu celular com o qual você baixou o aplicativo.

Os usuários podem escolher a moeda que deseja trabalhar e podem converter entre 100 moedas, incluindo o dólar dos Estados Unidos, a libra britânica, o euro, o ouro, real e o bitcoin.

Funcionalidades da Mobi – Carteira Bitcoin

A funcionalidade que chama bastante atenção é a possibilidade do usuário converter bitcoins em mais de 100 moedas fiduciárias disponível no app.

Mobi - Moedas disponiveis

Além disso, através do app ainda é possível, realizar pagamentos através de uma conta do twitter ou usando o próprio número do celular, mas não se preocupe é possível  também receber ou enviar pagamentos através do seu endereço bitcoin, que é criado quando você configura a carteira Mobi.

Cartão visa Mobi

Cartão visa Mobi

A carteira Mobi ainda conta com um cartão de débito visa, que usa o saldo da sua carteira Mobi, podendo ser gasto em qualquer estabelecimento que aceita a bandeira Visa.

Atualmente o saldo do cartão permanece em dólar, durante os 3 primeiros meses não é cobrado nenhuma taxa, o único valor cobrado é de US$9,00, que é a taxa de envio do cartão, o valor é cobrado direto de sua carteira Mobi, então antes se solicitar o cartão visa mobi, você tem que tem saldo disponível em sua conta.

Após os três meses de uso, serão é cobrado uma taxa de US$2,00/mês pelo uso deste cartão. Confira todas as taxas cobrada pelo Cartão Visa Mobi.

Mais como tudo isso funciona?

Usando um Blockchain privado, Mobi permite que os usuários enviem moedas  para qualquer um dos 2 bilhões de outros usuários de smartphones sem a necessidade que eles realmente criem uma carteira.

Esta abordagem de blockchain privado é semelhante a que é vista para as transferências on-exchange, por exemplo: Você deposita real em uma exchange, a própria plataforma faz um registro que você tem um saldo em real, sendo assim este registro está disponível somente dentro da plataforma que você realizou o depósito.

Além disso, Mobi faz o envio Bitcoin mais rápido e mais barato. Atualmente a taxa de rede paga ao minerador para incluir sua transação no próximo bloco é de 0,0001 BTC, este valor já está configurado na Mobi, e que inclusive não pode ser alterado. Como falei anteriormente todas as transações entre usuários Mobi as transações são offchain, envio instantâneo.

Inclusive essa é uma funcionalidade que está disponível na Smart Wallet da coinBR, que além de realizar transferência offchain (não faz registro da transação no blockchain), quando o usuário envia bitcoins para outro endereço que não seja da Smart Wallet, a fee de rede é paga pela própria coinBR. Para detalhes e informações da Smart da coinBR, confira nosso post Conheça a Smart Wallet coinBR – Sua Próxima Carteira de Bitcoin.

Mais informações sobre a Mobi – carteira Bitcoin

E ai, o que achou da carteira Mobi da BTC China? Deixe abaixo sua opinião.

Compre e venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior corretora de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

Banco Central da China Afirma que Exchanges não Devem Funcionar sem Serem Regulamentadas

O diretor do Banco Popular da China (PBOC) recentemente veio a público com algumas opiniões sobre o bitcoin,  após as recentes inspeções regulatórias do banco central  sobre as principais exchanges de bitcoin.

Confira também: Bitcoin Deve Ter 50% de Adoção em 9 Anos, Aponta Cálculo

Em um resumo traduzido enviado para o Twitter pela cnLedger, Zhou Xuedong, afirmou que “a maioria dos investidores de Bitcoin são jovens” e que “algumas exchanges falsificaram o volume para atrair investidores”.

Após ouvir a notícia da SEC (Securities and Exchange Commission) em não aprovar o primeiro ETF Bitcoin , Xuedong disse que o futuro do Bitcoin na China “não pode funcionar sem regulamentos”.

PBOC interfere no mercado de bitcoins

Em janeiro, foi relatado que o PBOC tinha realizado inspeções nas três maiores exchanges em Pequim e Xangai. Eram estas a BTC China, OKCoin e Huobi.

Acredita-se que o aumento do valor na moeda, estava atraindo atenção das autoridades que estavam tentando reduzir as saídas de capital que acreditavam estar ocorrendo através do bitcoin.

Como resultado, o preço do bitcoin caiu para cerca de US $ 790,00 enquanto a menor mineradora chinesa de bitcoin, a HaoBTC, revelou que estava fechando suas operações depois de anunciar a remoção de seu serviço de câmbio para seus usuários.

Em uma tentativa de aderir ao AML e exigências regulamentares reforçadas pelo PBOC, algumas exchanges, como a BTC China (BTCC), anunciou em fevereiro que estava suspendendo retiradas de Bitcoin e Litecoin. Logo em seguida ocorreu o mesmo em OKCoin e Huobi.

De acordo com o comunicado das três maiores exchanges do país, o prazo para retomar os saques estava previsto para este mês  (março), no entanto, a suspensão continua. O motivo é que eles ainda aguardam  aprovação regulamentar do mercado por parte do Banco Central da China.

Mais qual a visão do PBoC sobre o bitcoin?

Até o momento sem nenhum prazo para as exchanges chinesas receberem aprovação regulamentar, parece que a suspensão de um mês deve continuar indefinidamente.

No início deste mês de março, um funcionário do banco central declarou que a China deve apresentar uma posição mais clara sobre a regulamentação da moeda e acompanhamento das exchanges.

No entanto, um funcionário do governo chinês respondeu  dizendo que o controle das exchanges de moeda digital e das plataformas de negociação, é de competência do PBOC.

Com esse jogo de “troca de responsabilidade” entre ambos os lados, poderá surgir algum tipo de regulamento por parte de ambas instituições. Mas como já sabemos essa discussão já vem acontecendo a anos.

Como isso vai afetar a situação da moeda no país? Ainda não sabemos. O que existe nesse momento são as exchanges de mãos atadas à espera de aprovação regulamentar.

Confira também: O Aumento em Pagamentos em Bitcoin, Mostra que Está se Tornando uma “Moeda Real”

Compre e venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior corretora de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

O que Aconteceu com o Bitcoin na China?

Começamos 2017 com bastante entusiasmo no bitcoin. O preço quebrou US $ 1.000 em 1º de janeiro e, na segunda semana de Fevereiro, teve sua maior alta ultrapassando o topo histórico. Os ganhos de preço vieram como uma enxurrada de eventos na China, onde a moeda digital é definida como um “bem virtual”, deixando “a cena do Bitcoin em desordem”.

Depois de 2 meses de todo esse ocorrido, vamos analisar a fundo o que aconteceu,  e qual a situação atual do bitcoin na China.

Janeiro 2017

Em 5 de janeiro, o Banco Popular da China (PBoC) falou com as exchanges de bitcoin informando que ainda não é uma moeda sob as leis chinesas. Rumores apontavam que a China em breve iria agir para proibir o Bitcoin.

Uma interpretação mais suave da ação supôs o banco central, simplesmente esclarecer as leis da nação – nenhuma promoção offline, sem falsas negociações, a desvalorização do yuan não pode ser mencionado para promover a moeda digital, e eles sugeriram tornar obrigatório conhecer o seu cliente e tomar medidas para sonegação de impostos, entre outras condições. PBoC também aproveitou esta oportunidade para alertar os investidores sobre a volatilidade da moeda digital e o seu risco.

Confira: Bitcoin Cede 2% após Reuniões dos Reguladores da China com as Exchanges

Em 11 de janeiro, o People’s Daily, jornal oficial da China, publicou uma história sobre a tecnologia blockchain que incluiu um gráfico explicando o que é o Bitcoin.

O inicio das inspeções

O PBoC Xangai e o Shanghai Municipal Finance Office já estavam inspecionando uma das maiores exchanges do país a BTC China. As duas autoridades inspecionaram também as demais exchanges de bitcoin, Huobi e OKcoin. Esta última afirmou em um e-mail aos seus clientes o seguinte:

“Autoridades estão realizando uma inspeção de uma semana, apenas para entender a situação aqui. O objetivo é manter a estabilidade financeira, evitar riscos financeiros e regular o comportamento comercial do mercado “, escreveu BTCC. “Sem outras intenções. Os serviços de depósito e retirada estão funcionando corretamente “.

Entre outras coisas, as exchanges chinesas teriam de cessar o margin trading e taxa zero nas negociações de bitcoin. Na Comunidade, uma discussão sobre uma grande porcentagem dos negócios na China estava sendo manipulada por exchanges. Diante de todo o ocorrido a BTC China suspendeu seu serviço de margin trading, o mesmo ocorreu em Huobi e OKCoin.

Em 20 de janeiro, a BTCC twittou que estava “revisando a experiência operacional de contrapartes estrangeiras e a cobrança de taxas de transação, visando reduzir ainda mais a especulação e evitar a volatilidade de preços”. OKCoin anunciou que estava tomando ações semelhantes.

Confira também: Banco Popular da China faz Alerta sobre Volatilidade do Bitcoin nos últimos dias

Em seguida BTC China, Huobi e OKCoin voltam a cobrar taxas em 24 de janeiro. Uma quarta troca chinesa bitcoin, Yunbi, introduziu taxas pouco depois.

Declarações do PBOC

PBoC Departamento de Gestão Empresarial, Pequim Secretaria Municipal de Finanças, Secretaria Municipal de Indústria e Comércio e outros departamentos relevantes formaram um grupo comum para visitar Huobi, OKCoin e outras exchanges para uma inspeção no local”, a declaração diz o seguinte:

“De acordo com os problemas encontrados durante a inspeção inicial, o grupo decidiu continuar a inspeção, com foco principalmente na liquidação de pagamentos, anti-lavagem de dinheiro, gestão de moeda estrangeira, informações e segurança financeira. O grupo sugere que os investidores devem prestar atenção aos aspectos importantes das trocas de bitcoin, tais como conformidade legal, volatilidade de mercado, segurança financeira e a participação no investimento bitcoin com discrição”.

O Ano Novo Chinês

A medida que o ano novo chinês se aproximava, PBoC anunciou que iniciaria seu próprio instituto de pesquisa em moeda digital para pesquisar a tecnologia blockchain.

PBoC, em seguida, convidou nove exchanges de bitcoin chinesas para uma reunião a portas fechadas, incluindo CHBTC, BTCTrade, HaoBTC e Yunbi, supostamente comunicando que nenhuma negociação margin trading estivesse disponível nas plataformas e que as trocas devem cumprir as leis do LBC.

Confira também: Banco Central da China encontra irregularidades nas Principais Exchanges de Bitcoin

Exchanges Chinesas Interrompem Saques

Em 13 de fevereiro, o provedor de serviços Bitcoin HaoBTC anunciou que iria cessar os serviços de exchange de bitcoin, mas manteria seu serviço de carteira.

A Localbitcoins, uma plataforma de negociação peer-to-peer (P2P) de bitcoin, mostrou uma explosão de interesse após as ações da PBoC e subseqüente suspensão das retiradas nas bolsas chinesas.

China Localbitcoins

Em 8 de fevereiro, Samson Mow, CEO do BTC China, deixou a empresa que ele ajudou a fundar. – Pouca explicação foi dada.

“Lamentamos informar que o nosso CEO [Samson Mow] está saindo da BTCChina”, escreveu o co-fundador Bobby Lee.

Os volumes de negociação até então começaram a diminuir. OKCoin, que manteve a maior quantidade de bitcoin, viu seu volume cair em mais de 20.000 bitcoins  entre 16 e 17 fevereiro.

Antes das mudanças, a China liderou o comércio bitcoin, mas desde que seus volumes desmoronaram a aproximadamente 33%, Japão passou a frente e é o líder mundial  no comércio do bitcoin.

Confira também: Tamanho Importa: Japão se Torna o Maior Mercado de Bitcoin do Mundo, bate China e EUA.

Desde as reuniões com a PBoC, as exchanges na China começaram a introduzir novos procedimentos AML e KYC, como uploads de ID e outros processos de verificação – nenhum dos quais existia antes das reuniões recentes.

Desenvolvimento de seu “Bityuan”

Na metade de janeiro, tornou-se público que o PBoC estava pesquisando como implementar sua própria moeda digital, RMBCoin, “para realmente alcançar a meta de dinheiro para o povo”.

“Agora está ficando claro que o banco central da China será um dos primeiros a emitir uma moeda digital”, de acordo com Andy Mukherjee, em publicação para para Bloomberg.

Bloomberg acrescentou: “Uma versão inicial do bityuan provavelmente será um assunto sem interrese. A pesquisa no Banco Popular da China favorece um sistema em que a autoridade monetária emitiria a criptomoeda para os bancos, que a forneceria para seus clientes “.

Confira também: O Fim das Transações Ilícitas na Rede Bitcoin

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

Banco Central da China Avisa que Continuarão as Inspeções nas Exchanges Chinesas

Após ter encontrado “irregularidades” em processos operacionais nas principais Exchanges no país, o Banco Central da China (PBOC), já anunciou que as suas inspeções vão continuar.

Confira atambém: Banco Central da China encontra irregularidades nas Principais Exchanges de Bitcoin

Comunicado oficial do Banco Central da China

Em um comunicado divulgado hoje, a filial do Banco Popular da China em Pequin, declarou que vai continuar com as inspeções nas exchanges de bitcoin, após as conclusões preliminares que ocorreu a semana atrás.

Na época, o PBOC Pequim tinha comunicado que OKCoin e Huobi,  as duas principais exchanges com sede em Pequim não tinha seguido as normas anti-lavagem de dinheiro, o que segundo a instituição é um requisito que deveria constar dentro em suas plataformas.

Confira também: OKCoin Afirma que é a Favor de Regulamento do Bitcoin na China

Essas descobertas, entre outros “problemas encontrados” levou o  PBOC Pequim divulgar  o seguinte comunicado:

De acordo com a inspeção inicial e os problemas encontrados, o grupo de inspeção decidiu continuar a se concentrar em áreas de pagamento e liquidação, anti-lavagem de dinheiro, gestão de divisas, informações e segurança financeira e outros aspectos de inspeção adicional. Os pesquisadores também sugerem que os investidores devem prestar atenção às transações e atividades da plataforma, tais como conformidade legal, volatilidade de mercado, segurança financeira e entre outros riscos, com participação cuidadosa nas atividades de investimento sobre bitcoin.  PBOC Pequim.

Ainda é desconhecido se as inspeções vão continuar nas Exchange  OKCoin e Huobi especificamente ou se eles incluíram BTC China em Xangai.

Mudanças nas exchanges

Uma série de mudanças relacionadas as atividades comerciais e operacionais das principais bolsas bitcoin chineses já foram feitas, uma vez que o PBOC se envolveu em 6 de janeiro. Dentre as mudanças são a suspensão de negociação de margem trade pelas plataformas e da inclusão de taxas sobre as novas negociações que passar a valer desde o dia 24/01/2017.

Confira também: BitCache e a Volta das Taxas em Transações de Bitcoin na China

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

Comunicado na íntegra: Inspeção na exchanges de bitcoin, plataforma de negociação continuará

Você acredita que a inspeções do PBOC tem influenciado no preço do bitcon nos últimos dias? O que espera daqui para agora?

BitCache e a Volta das Taxas em Transações de Bitcoin na China

O ano de 2017 começou ótimo, a expectativa, com a posse do presidente dos EUA Donal Trump, e logo em seguida o lançamento de Bitcache e Megaupload 2.0 de kim Dotcom, eram fortes fatores que mexeriam no preço do bitcoin.

Bitcache – Lançamento adiado

Este é um serviço que segundo as explicações de Kim, tornaria Bitcoin mais mainstream, o lançamento de Bitcache coincidiu por acaso com a posse de Donald Trump, 20/01/2017. Horas depois o Kim se pronunciou falando que o lançamento seria adiado sem data para lançamento, em algumas publicações em seu twitter, ele falou que estava recebendo fortes ameaças.

Confira também: Posse de Donald Trump e a Valorização do Bitcoin

Kim Doctom declarou um comunicado ao site New Zealand Herald , afirmando o seguinte:

Estamos trabalhando nisso e não posso comentar o que aconteceu ainda. É apenas mais dos problemas habituais que tenho de lidar desde que o governo dos EUA enviou um comando antiterrorista baseado na Nova Zelândia para a minha casa pelo que é de fato uma reivindicação de violação de direitos autorais civis e nada de criminoso tanto na Nova Zelândia quanto na lei dos EUA.

Kim Doctcom X bitcoin

Apesar de hoje está buscando refúgio na Nova Zelândia, Kim sempre demonstrou interesse na comunidade bitcoin, mas tudo de forma privada. Desde sua prisão sobre o caso do site Megaupload, ele tem sido perseguido fortemente pelo governo dos EUA, principalmente pelas acusações contra ele.

Desde de 2015, ele vem planejando lançar “algo de novo” para comunidade bitcoin, e entres os projetos se destaca o Bitcache, Megaupload 2.0 e Megakey, ambos para tornar o bitcoin cada vez mais mainstream.

Confira também:  Kim Dotcom: MegaUpload2 – BitCache será a tendência do Bitcoin

Maior Fiscalização por parte do governo Chinês

Desde as inspeções do Governo, nas principais exchange de bitcoin no país, as três principais Corretoras de bitcoin, foram orientadas às tomar algumas medidas para poder contar a volatilidade do bitcoin, que vem ocorrendo desde o início do ano.

Confira também: Banco Central da China encontra irregularidades nas Principais Exchanges de Bitcoin

Após esta “pressão” sobre as principais exchanges, algumas como a BTCC,declarou o seguinte.

Estamos implementando taxa-base em negociações para evitar manipulação do mercado e tentamos controlar a volatilidade. Twitter BTCC.

A notícia foi bem aceita, por parte de alguns usuários da plataforma, a BTCC, destacou caso alguém tenha dúvida pode entrar em contato pelo suporte para esclarecer quaisquer dúvidas sobre a taxa que será cobrada, tanto para bitcoin e litecoin. As cobranças de taxas começam a valer a partir de hoje 14/01/2017.

Vale lembrar que até o momento, o Banco Popular da China, responsável pelas inspeções ainda não divulgou nenhuma relatório sobre as inspeções, a única medida até o momento foi a retirada de negociações margin trade, sendo um dos principais motivos as exchanges a voltar a cobrar taxas na negociação.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

Será que a cobranças dessa taxas podem afetar o preço do bitcoin? E o que esperar dos projetos de Kim Doctom? Deixe sua opinião.

Exchanges Chinesas Podem voltar a Cobrar Taxas nas Negociação de bitcoin

Tudo parece que as exchanges Chinesas, estão evoluindo na direção certa.

As exchanges chinesas de Bitcoin operaram sempre com a promessa de não cobrar taxas nas negociações. Além  disso, a maioria das plataformas  conseguiu um monte de dinheiro sobre negociações de margin trade.

Fim das negociações Margin Trade.

Agora que a maioria das exchanges, já não oferecem negociação de margin trade de alto valor, eles estão vendo sua grande fonte de receita desaparecer. É provável que muitas dessas plataformas vão voltar a cobrar taxas de negociação nas próximas semanas.

Em nota publicada em seu site a BTCC, afirmou o seguinte:

A BTCChina deixou de oferecer serviços de empréstimo de margin trade, devido a recente volatilidade extrema no preço do bitcoin. Estamos tomando esta decisão visando reduzir a manipulação e  a volatilidade do mercado, a BTCChina também está considerando cobrar taxas de negociação, como é o caso que ocorre em outras exchanges. Manteremos os clientes informados de quaisquer alterações. BTCChina.

Operar com taxas de negociação de 0%, não era esperado para ser uma solução de longo prazo para as exchanges chinesas. A China é uma das poucas regiões do mundo onde oferece esse modelo de negócio. Afinal, as plataformas poderiam oferecer margem de alavancagem em negociação bitcoin, e tomar um corte substancial desses montantes. Essa situação tem vindo a mudar nos últimos tempos, graças ao PBOC.

Confira também:  Banco Popular da China faz Alerta sobre Volatilidade do Bitcoin

Ações do Governo Chinês

Desde o início de 2017, o Banco Popular da China, realizou inspeções nas principais exchanges de Bitcoin, para conhecer como eles estavam operando no país – Até o momento nenhum relatório oficial foi divulgado pela instituição.

Essas ações do Governo chinês sobre as principais exchanges, gerou maior furdúncio pela mídia, chegando a assustar os investidores sobre possíveis proibições do Bitcoin.

Por outro lado, a OKCoin, após reuniões com o próprio BPC, declarou que está aberto para qualquer medida que o governo vem a tomar a favor do bitcoin.

Confira: OKCoin Afirma que é a Favor de Regulamento do Bitcoin na China

Mais uma vez a BTCC China voltou a afirmar, que não recebeu qualquer declaração oficial dos reguladores, e alerta todos os clientes a terem uma visão mais ampla e cautelosa das notícias que especulam sobre a visita e as discussões.

Todas as operações na BTCC são normais e continuamos a trabalhar ativamente com os reguladores para garantir que continuemos em conformidade.

De acordo com a CNR, é possível que as exchanges chinesas cobrem taxas de negociação. Por enquanto, não está claro se é que isso vai acontecer.

Confira também: Banco Central da China encontra irregularidades nas Principais Exchanges de Bitcoin

Não há nenhuma indicação quanto ao nível de taxas que podemos esperar – Hoje a maioria das exchanges internacionais cobrar uma taxa de 0,15% em cada comércio, que irá diminuir, dependendo do volume que o usuário gera.

O que você acha sobre essas mudanças no mercado do Bitcoin na China? – Deixe seu comentário !

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

Banco Central da China encontra irregularidades nas Principais Exchanges de Bitcoin

O Bitcoin começou a cair o preço mais uma vez na quarta-feira depois que as autoridades chinesas afirmaram que as bolsas “estavam violando regras”.

A divisão de gestão de negócios do People’s Bank of China (PBOC), teria divulgado os resultados de uma inspeção previamente anunciada sobre as plataformas de negociação bitcoin.

Em relatórios hoje, o banco central diz  ter encontrado irregularidades nas operações de grandes Exchange Bitcoin como  BTCC, Huobi e OKCoin, e que acreditam foram responsáveis pelas últimas oscilações de preço bitcoin nas últimas semanas.

Confira também:  Bitcoin: China supera Nova York e Vale do Silício em  Fintech

Especificamente, o relatório concluiu que as empresas estavam a realizar atividades de margin trading, embora nenhum detalhe sobre quaisquer punições foram emitidos.

Os relatórios, por fonte de notícias com base em China Hexun e Jiefang Daily, acrescentam que as plataformas também estavam operando fora das normas contra a lavagem de dinheiro.

O PBOC alertou aos investidores sobre os riscos de compra de bitcoin, que o considera um produto sob a lei chinesa como um “bem virtual”.

Confira também: Banco Popular da China faz Alerta sobre Volatilidade do Bitcoin nos últimos dias

Em declarações, os membros da comunidade bitcoin da China (talvez sem surpresa) procuraram minimizar as descobertas.

Eric Zhao, engenheiro da Academia Chinesa de Ciências, disse à CoinDesk que o resultado era “esperado”, embora reconhecesse que os relatórios não fornece muitos detalhes.

O fundador da empresa de mineração Bitcoin, com sede na China, Eric Mu, comentou da mesma forma, ridicularizando os relatórios como “nada de novo”.

Confira também: OKCoin Afirma que é a Favor de Regulamento do Bitcoin na China

A notícia chega quase duas semanas depois que os relatórios vieram à tona, em primeiro lugar, de que o BPOC realizou reuniões com as principais exchanges, um desenvolvimento que se seguiu a um rápido aumento no preço do bitcoin no início de 2017.

Até o momento, apenas a BTCC tinha emitido uma resposta formal através da sua linha conta no Weibo .

“O BTCC continuará a cooperar ativamente com o banco central e seus departamentos associados e realizar retificações.” Atualmente, o BTCC está operando normalmente”, disse a exchange.

CEO Bobby Lee, não confirma ou nega qualquer das conclusões, mas declarou a CoinDesk que ele está ansioso para os resultados do relatório para determinar como o mercado pode melhorar e  avançar de acordo com a orientação do governo.

Ele afirmou:

“Estamos abertos a todas as idéias e modificações.”

Fonte: Coindesk

Qual sua opinião sobre o posicionamento do governo Chinês em relação ao bitcoin?

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

OKCoin Afirma que é a Favor de Regulamento do Bitcoin na China

O CEO disse que o desenvolvimento de um quadro regulamentar com base em um diálogo construtivo entre as autoridades governamentais e participantes da indústria traria muitos benefícios para o ecossistema da moeda digital, a exemplo do Bitcoin.

Declarações da OKCoin

Em declarações emitidas pelo CEO da OKCoin, Star Xu, ele afirmou que o conselho de administração da empresa está aberta ao governo e ao Banco Popular da China (People’s Bank of China – PBC), para projetar ou implementar regras legais mais específicas para acompanhar as atividades comerciais relacionadas com o bitcoin.

Confira também: Banco Popular da China faz Alerta sobre Volatilidade do Bitcoin nos últimos dias

Possível regulamentação

Por sua vez Xu afirmou que os rumores de que Bank of China pode estar criando uma lei para regular mais estritamente aos serviços de câmbio para melhorar a segurança das operações, está possível lei não têm bases reais, mas que discussões que foram tocadas sobre este assunto não foram além do nível teórico.

Este foi apenas uma ideia que foi proposta ao debate. Acreditamos que a questão é de vital importância para melhorar a proteção dos consumidores e promover um crescimento saudável a longo prazo”. CEO da OKCoin, Star Xu.

De acordo com dados do portal Bitcoinity, OKCoin ocupa o segundo lugar entre os serviços de troca Bitcoin, maior no país asiático, apenas ficando atrás em volume de operações da BTCC.

Críticas sobre o People’s Bank of China – PBC

Para críticos da indústria, afirma que o banco busca impedir que milhares de pessoas que foram afetadas pelas condições econômicas, voltem para a moeda digital como um meio para proteger suas economias, o que poderia afetar a economia local por causa da desconfiança dos cidadãos nas instituições financeiras.

Uma coisa é certa, é inevitável uma regulamentação por parte de algum país, o problema é como isso será implantado e como será aceitação por parte da comunidade.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br

Banco Popular da China faz Alerta sobre Volatilidade do Bitcoin nos últimos dias

O Banco Popular da China (PBOC) se reuniu esta semana com importantes exchanges de Bitcoin em Pequim e Xangai. Representantes do BPC em Pequim reuniu-se com OKCoin e Huobi enquanto representantes do BPC em Xangai reuniu-se com BTCC .

Declarações sobre investimentos em bitcoin na China

Na noite de sexta-feira, 6 de janeiro, na China, os escritórios do PBOC em Pequim e Xangai emitiram declarações sobre as reuniões, destacando que o “preço recente da bitcoin é altamente volátil” e que o banco encoraja as bolsas a “operar estreitamente de acordo com as leis e regulamentos da China para realizar auto análises com base em leis relacionadas e corrigir eventuais irregularidades.”

As declarações também alertou os cidadãos a “investir ciente em bitcoin e, assim, suportar os possíveis riscos por conta própria.

Principais Exchanges na China

A Huobi, OKCoin e a BTCC hoje representam 90% do volume global em negociação de Bitcoin e viram os preços perto dos máximos históricos nas últimas 36 horas antes de caírem drasticamente.

As declarações completas do PBOC podem ser encontradas abaixo.

Declaração da Huobi

Zhu Jiawei, COO da Huobi, deu a seguinte declaração:

Huobi conduzirá a auto-inspeção de acordo com exigências do PBOC e outras autoridades, e leis e regulamentos. Huobi também pretende estabelecer uma associação da indústria com outras empresas para promover a autodisciplina e a formação de padrões da indústria.”

Jiawei também acrescentou avisando que “os investidores devem controlar o risco, porque bitcoin é um produto de investimento com alto risco, negociado 24/7 e sem limitação sobre a flutuação de valor”.

A BTCC também confirmou a reunião com o PBOC e emitiu a seguinte declaração:

“BTCC se reuniu recentemente com o PBOC e trabalhamos em estreita colaboração com eles para garantir que estamos operando de acordo com as leis e regulamentos da China. Como a mais antiga bolsa em circulação do mundo, sempre respeitamos as políticas de AML / KYC e continuamos a cumprir todos os regulamentos vigentes na China. O boletim de imprensa apresentado por PBOC hoje esboça que há uma volatilidade significativa no comércio de bitcoin, como já foi citado em um aviso em 2013, dizendo que bitcoin é um bem virtual e não tem status de curso legal. Todos os nossos usuários devem estar cientes das políticas atuais sobre bens virtuais, bem como os riscos envolvidos na negociação em mercados voláteis.”

A OkCoin, ainda não se pronunciou sobre a reunião com Banco Popular da China, em seu blog e redes sociais não há nenhum comunicado ou alerta sobre a queda do bitcoin nesses últimos dias.

Curiosamente, o preço de bitcoin atingiu 8.888 CNY. O oito é considerado o número da sorte na cultura chinesa e parece ter sido um ponto de lucro para muitos investidores.

Por fim, o que o Banco Popular da China afirma não há nada de novo, em relação a suas declarações anteriores,o fato de que o PBOC está fazendo declarações públicas sobre bitcoin e reafirmando seu próprio compromisso de garantir a integridade operacional das casas de câmbios no país poderia ser interpretado como um reconhecimento da viabilidade crescente do bitcoin.

Compre e Venda bitcoins de maneira rápida e segura na maior bolsa de bitcoins da América Latina: https://foxbit.com.br